• +(011)992413934
  • contato@missaoempreendedora.net.br

Tag Archives: trabalho

SÍNDROME DE BURNOUT

Você se sente constantemente depressivo, com uma intensa sensação física e mental de completo esgotamento? Cuidado. Você pode estar sofrendo da Síndrome de Burnout, ou Síndrome do Esgotamento Profissional.

Mais do que apenas uma sensação de cansaço, a Síndrome de Burnout é oficialmente uma doença, com código médico, sintomas documentados, estágios de classificação e tratamento apropriado.

Embora obviamente uma doença não seja algo bom, a Síndrome de Burnout (ou o caminho que leva a ela) pode servir como o empurrão que você precisava para tomar a decisão de mudar de vida de uma vez por todas.

Mudar de vida é uma ideia que encanta nossas mentes. Quem não quer ter mais tempo livre, dedicar-se a uma paixão, viajar pelo mundo, transformar o próprio corpo, conquistar independência financeira ou obter qualquer outro tipo de melhoria?

O problema é que a maior parte de nós evita pensar em uma mudança radical de vida porque temos medo de arriscar o conforto de nossa atual situação. Preferimos esgotar nosso corpo e nossa mente em um trabalho do qual muitas vezes não gostamos, somente para ganhar um salário no final do mês e assim comprar coisas de que não precisamos para impressionar pessoas de quem não gostamos.

Parece insano? Pois é esse o caminho que nos leva à Síndrome de Burnout.

Neste artigo, veremos em detalhes:

  • O que é a Síndrome de Burnout
  • Quais os sintomas da Síndrome de Burnout
  • Como aproveitar a Síndrome de Burnout para mudar de vida

Antes de seguirmos, no entanto, é preciso fazer dois alertas sérios.

O primeiro é que nem todo cansaço físico e/ou mental necessariamente significa que você seja portador da Síndrome de Burnout.

O segundo é que este site, o Google ou mesmo a internet inteira não podem substituir um consultório médico. Se você, ao terminar de ler este artigo, suspeitar de que pode ser um portador dessa doença, procure imediatamente um médico para que ele possa fazer um diagnóstico oficial da sua situação.

Combinado? Então vamos de início entender…

O que é Síndrome de Burnout

 

Em 1974, época de grandes transformações na economia dos Estados Unidos, um médico chamado Herbert J. Freudenberger observou que cada vez mais pessoas procuravam consultórios médicos completamente esgotadas por conta do trabalho.

Elas não estavam simplesmente cansadas, mas sim destruídas física e emocionalmente, a caminho de uma depressão.

Freudenberger chamou essa situação de Síndrome de Burnout, definindo-a, segundo a Wikipédia, como “um estado de esgotamento físico e mental cuja causa está intimamente ligada à vida profissional”.

Com o passar do tempo e a repetição de sintomas e tratamentos, a Síndrome de Burnout acabou sendo classificada oficialmente como uma doença, sendo registrado no Grupo V da CID-10 (Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde).

Geralmente essa doença é causada pelo estresse no trabalho, quando as pessoas estão submetidas a chefes tiranos, cargas horárias desumanas ou mesmo quando estão praticando uma atividade profissional da qual desgostam.

Para saber se você tem ou não a Síndrome de Burnout, você precisa de um diagnóstico médico. Mas antes de ir a um profissional de saúde, você pode obter algumas pistas descobrindo…

Os sintomas da Síndrome de Burnout

Se todo mundo que se sentisse cansado ao final do dia sofresse de Síndrome de Burnout, faltariam atestados médicos para dar conta de tantas faltas.

Praticamente todos nós somos submetidos a algum nível de estresse no trabalho. Algumas profissões são mais desgastantes do que outras. Por exemplo, a Síndrome de Burnout em professores é maior do que a média em outras profissões.

O sintoma mais evidente da Síndrome de Burnout é o esgotamento físico e emocional, que acaba se desdobrando em outros sintomas e atitudes negativas, tais quais:

  • Faltas ao trabalho
  • Agressividade
  • Isolamento
  • Alterações bruscas de humor
  • Irritabilidade
  • Problemas de concentração
  • Lapsos de memória
  • Ansiedade
  • Pessimismo
  • Baixa autoestima
  • Dor de cabeça
  • Enxaqueca
  • Cansaço físico
  • Suar demais
  • Palpitação
  • Pressão alta
  • Dor muscular
  • Insônia
  • Crises de asma
  • Distúrbios gastrintestinais

O médico irá fazer o diagnóstico baseando-se não apenas nos sintomas, mas também no seu histórico pessoal e profissional.

Dependendo do grau da doença, o tratamento recomendado pode ir desde coisas mais simples como férias, prática de atividades físicas ao ar livre e exercícios de relaxamento (como meditação ou yoga), até intervenções mais pesadas, como uso de antidepressivos ou psicoterapia.

” O fundo do poço é o melhor lugar para tomar impulso. ~ Dito popular

Se você infelizmente está nesta situação, talvez seja a hora de dar uma parada e repensar a sua vida. Quem sabe fazer do limão uma limonada e aproveitar a doença para dar uma guinada drástica.

Usando a Síndrome de Burnout para mudar de vida

Pense no caminho que o estresse do trabalho está te levando. Mesmo que você ainda não esteja com a Síndrome de Burnout, pode ser que esteja a caminho de tê-la. Ou a caminho de passar o restante da sua vida estressado e infeliz.

Não seria bom aproveitar essa situação para dar uma guinada na vida? Ou, como diz Anthony Robbins, despertar o seu gigante interior?

Todos sabemos que ter um emprego e um salário ao final do mês é algo bom para nos dar um pouco de conforto e segurança.

O problema é que sobrevalorizar a importância do conforto e da segurança pode nos levar a viver de forma reativa em vez de forma ativa.

Ou seja, em vez de fazer planos grandiosos e correr atrás de nossos sonhos com gosto, nós preferimos ficar na zona de conforto. Continuamos trabalhando no mesmo emprego estressante, mantemos o relacionamento que caiu na rotina, “aceitamos” que a vida vai ser aquilo mesmo.

O “aceitamos” fica entre aspas porque sempre ouvimos aquela voz no fundo de nossas mentes sentindo falta de algo mais, não ouvimos? Principalmente quando estamos esgotados física e emocionalmente…

Aquela voz que nos diz que esse não é o tipo de vida que queremos viver. Que quer sempre mais e mais. Que quer que você seja muito mais saudável, que coloque seu corpo na melhor forma possível, que viva um relacionamento intenso e verdadeiro, que viaje o mundo, que aprenda novas habilidades, que ajude as outras pessoas.

Essa voz aparece geralmente quando você está a só consigo mesmo.

Mais do que “você tem Síndrome de Burnout”, o que essa voz tenta nos dizer é que estamos insatisfeitos ou com problemas de motivação simplesmente porque não estamos fazendo o que deveríamos com nossas vidas.

Você tem duas opções para lidar com essa voz:

  1. A primeira é ouvi-la com atenção e mudar de vida.
  2. A segunda é silenciá-la e continuar sobrecarregando-se de trabalho até ficar doente.

Mesmo se você optar (equivocadamente) por seguir no caminho da Síndrome de Burnout, sempre que você estiver a só consigo mesmo, aquela voz vai estar lá, tentando alertar você sobre a vida medíocre que vem levando, até que a doença e a morte se aproximem.

E, com elas, os remorsos de tudo o que poderia ter sido e que não foi.

Encontrando a coragem para mudar

Como fazer então para escapar da Síndrome de Burnout e começar a executar as mudanças que precisam ser feitas?

O primeiro passo é não evitar ficar sozinho. Passe alguns momentos sozinho, sem nenhuma distração ligada (isso inclui TV, rádio, internet, celular etc.). Tenha em mãos lápis e papel, um gravador de voz ou qualquer outra coisa que possa capturar pensamentos que venham a surgir.

A maioria de nós, no fundo, sabe o que nos deixa infelizes. Pode ser o estresse do trabalho, o relacionamento que não dá mais certo, a beleza que foi perdida com o tempo, a saúde precária, a falta de dinheiro. Liste-os, sendo sincero consigo mesmo.

Uma vez que você os tenha em mãos, pode começar a pensar em ações para mudar o que te traz insatisfação e começar a fazer o que você acha que realmente vale a pena. O grande passo aqui será superar o medo, dominá-lo para ele não lhe paralise. Não tente eliminá-lo, pois isso é muito difícil. A coragem é a arte de dominar o medo.

Por onde começar

O que diferencia você das grandes figuras da humanidade? Das pessoas que realmente fazem a diferença?

Sua mente é tão poderosa quanto a deles. Basta ser treinada e você conseguirá não apenas escapar da Síndrome de Burnout, mas conquistar muito do que quer para a sua vida.

É verdade que mudar de emprego ou de profissão não é tarefa fácil, mas isso não significa que é impossível.

Pense grande e não se intimide com as dificuldades, pois elas existem apenas para separar quem realmente está comprometido com alguma coisa daqueles que apenas gostariam de ter aquela coisa.

Algumas dicas para se afastar da Síndrome de Burnout e começar a mudança de vida que você sempre quis:

  • Entenda que tudo o que acontece na sua vida é responsabilidade sua.Tudo. Assuma o papel de protagonista e não de vítima.
  • Sendo você o responsável por tudo, corte a reclamação de sua vida. Reclamar é a pior coisa que você pode fazer por você mesmo. Foque em encontrar soluções em vez de ficar simplesmente apontando problemas.
  • Compreenda de uma vez por todas que a alimentação torna você o que você é. Passe a se alimentar com critério, nutrindo-se corretamente e não apenas enchendo a pança.
  • Coloque na sua cabeça que exercícios físicos não são uma questão de opção e sim de obrigação. É impossível manter-se saudável ao longo dos anos sem praticá-los, então comece hoje mesmo, nem que seja com uma caminhada pelo quarteirão.
  • Aprenda a descansar corretamente. É durante o sono que nosso corpo se recompõe. Tenha noites de sono tranqüilas e sua vida melhorará sensivelmente.
  • Adquira o hábito da leitura. Os livros são a melhor fonte de conhecimento e você pode entrar em contato com as grandes mentes da humanidade simplesmente compreendendo-os.
  • Anote todas as pendências fora de sua cabeça. Nossa mente não é o melhor lugar para deixar nossas pendências memorizadas. Isso gera estresse e confusão mental. Tenha o hábito de anotar suas pendências (projetos, tarefas, delegações, sonhos, metas) em um papel, em um software ou em qualquer lugar físico fora de sua cabeça.
  • Organize suas finanças. Problemas com dinheiro é um dos maiores motivos de infelicidade da humanidade. Muito do estresse do trabalho que leva à Síndrome de Burnout vem do fato de sabermos de que precisamos daquilo para sobreviver. Que outra razão nos levaria a ficar oito horas por dia, cinco dias por semana, fazendo algo de que não gostamos? Aprender a gastar menos do que ganha e a investir a diferença para adquirir independência financeira.
  • Faça uma coisa de cada vez. Tentar resolver tudo ao mesmo tempo só vai deixá-lo frustrado. Da sua lista de problemas e aspirações, escolha uma e comece a trabalhar nela. Quando já estiver caminhando bem, passe para outra. Isso pode ser aplicado em tudo na sua vida. Se você tem dois focos, então não tem nenhum.
  • Saiba o que você quer da vida. Identificar os problemas não basta. Além de saber o que você não quer, você precisa ter em mente o que quer da vida. Trace seu objetivo principal, defina-o em detalhes e corra atrás dos seus sonhos.
  • Faça aos outros aquilo que você gostaria que fizessem a você mesmo.Essa é a regra de ouro para viver bem em sociedade e ser uma pessoa querida pelos demais. Note que não é para se limitar a não fazer aos outros o que gostaria que fizessem a você. É para fazer pelos outros.

Por fim, não deixe nada para amanhã.

Hoje à noite você pode ter um ataque cardíaco, ou comer algo infectado com uma bactéria e morrer. Ou o lugar onde você mora pode ser atingido por um furacão, um tsunami, um terremoto, um ataque terrorista ou ser alvo de bandidos assassinos.

O dia de amanhã não é uma certeza na sua vida, então é bom começar hoje. Sem desculpas, sem mais infelicidade.

Apenas ouça aquela voz que sempre lhe diz a coisa certa a fazer.

Gostaria de mudar sua realidade de vida?

Ter qualidade de vida

Se você realmente está comprometido a mudar, então entre em contato conosco e tenha um futuro com saúde, qualidade de vida e felicidade !

 

MANUELDOLIVEIRAFILHO

POLISHOP PROMETE MUITAS NOVIDADES E MUDANÇAS DO PLANO

Nunca uma convenção da Polishop foi tão esperada por seus empreendedores.

Isso porque, no Brasil esse mercado está cada vez mais competitivo com a adentrara de muitas empresas no seguimento no Marketing de Rede. 

Que a empresa possui uma marca incrível todos sabem. Pelo IBOPE, é a trigésima marca mais valiosa do país.

Que a Polishop possui excelentes produtos, todos sabem. São 1.200 produtos inovadores e exclusivos.

As mudanças serão feitas no plano de bonificação, que paga muito bem para os líderes que estão no topo da carreira e melhorará também para os iniciantes.

A maior reivindicação dos empreendedores, é o fato de que o kit de adesão é padronizado, não permitindo a escolha de produtos. A Polishop estará revendo o kit de adesão e melhorando na revenda do mesmo com margens maiores de lucro.

 A Polishop visa cada vez mais a melhoria do plano de bonificação para o crescimento do negócio e a internacionalização da marca em 2020. 

Mas a empresa promete muitas novidades, tanto que o plano 4.0 será substituído pelo Opportunitty 10.0

Uma grande evolução a vista.

Leia Também…

 

MANUELDOLIVEIRAFILHO

EMPREENDER ESTÁ EM ALTA NO BRASIL

Desemprego recorde gera a maior alta de empreendedorismo da história do Brasil

Se por um lado, a crise econômica brasileira gerou o maior desemprego da história, nunca o Brasil teve tantas pessoas empreendendo. E nunca a demanda por empresas de marketing multinível foi tão alta.

Este momento negativo da economia e está gerando um boom nas empresas de vendas diretas e MMN.

Somente no primeiro trimestre do ano o desemprego aumentou 13,7% conforme dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), por meio da pesquisa Pnad Contínua.

De acordo com o IBGE, essa foi a maior taxa de desocupação da série histórica, iniciada em 2012. Hoje o Brasil possui mais de 14,2 milhões de desempregados, também batendo recorde da série histórica.

Segundo Cimar Azeredo, coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE, “o mercado de trabalho continua a apresentar deterioração. Perdemos mais de 1,8 milhão de postos de trabalho, sendo que cerca de 70% dessa perda foi de empregos com carteira de trabalho assinada”.

Segundo Azeredo, a notícia mais impactante da pesquisa é a perda expressiva de empregos com carteira assinada. “Perder postos de trabalho com carteira significa perda de arrecadação da Previdência, perda de acesso ao seguro-desemprego, perda de garantias trabalhistas. Além disso, a carteira de trabalho serve como garantia de acesso ao crédito. A grande notícia que a Pnad Contínua traz neste primeiro semestre do ano é que o mercado continua destruindo postos de trabalho”.

De acordo com o pesquisador, a queda do número de carteiras assinadas tem relação direta com a conjuntura política e econômica do país. “Um cenário econômico conturbado, um cenário político instável, isso traz desestabilização para o mercado de trabalho e seus efeitos são quase imediatos. Reestruturar postos de trabalho, recompor carteira, isso demora”, afirma.

O rendimento médio está estimado em R$ 2.110 no Brasil. “Há um crescimento do rendimento nominal do trabalhador. Isso mostra que você tem um aumento do poder de compra da população, mas o efeito inflacionário sobre ele fez com que a massa de rendimento se mantivesse estável”, explicou o pesquisador.

Leia também…

 

MANUELDOLIVEIRAFILHO

SEBRAE INCLUI MARKETING MULTINÍVEL EM SUA PROGRAMAÇÃO

O SEBRAE está fazendo consultoria para empresas de pequeno porte que desejam adotar o MMN como formato de negócio.

Mais do que isso, está preparando estudos sobre o segmento, treinando e formando consultores e abrindo em sua grade especialização no assunto, através de uma coordenadoria.

Como sa sabe, o Brasil possui mais de 13 milhões de pessoas estão desempregadas no Brasil, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Sem expectativas de conseguir carteira assinada, muitos trabalhadores apostam em nichos de mercado como alternativa de renda. Um deles é o marketing multinível, modelo que trabalha com a criação de uma rede. No ano passado, ele registrou R$ 40,4 bilhões em negócios.

Esse tipo de negócio consiste em oferecer produtos ou serviços diretamente ao consumidor, presencialmente ou pela internet. Entre suas vantagens, está o menor número de intermediários entre quem produz e quem consome, com base nos relacionamentos pessoais. “Funciona como uma rede. Família, amigos e conhecidos tornam-se clientes, tanto para comprar quanto para convidar outras pessoas. Nesse caso, a rede ganha uma comissão”, explica a analista do Sebrae Minas Andreza Capelo.

Outro ponto positivo desse tipo de negócio é o investimento mínimo, o que facilita o início das operações. “Não precisa investir em infraestrutura, não assume o pagamento de salários dos empregados que participam das tarefas administrativas da empresa e nem arrisca seu capital montando um grande negócio.

Antes de aceitar o convite de uma empresa, pesquise se o negócio é marketing multinível ou um modelo de pirâmide (que é ilegal no Brasil).

Algumas diferenças importantes:

O foco da pirâmide é basicamente o recrutamento de novos participantes. O marketing multinível visa distribuir produtos. Na pirâmide, há casos em que os produtos ou serviços sequer existem no mercado.

Em suas reuniões, o treinamento não é voltado para a venda/consumo, e sim para o recrutamento, sendo que o faturamento individual se baseia basicamente no número de pessoas recrutadas para a rede.

Leia também…

MANUELDOLIVEIRAFILHO

COMO VOCÊ MANTÉM UMA VISÃO POSITIVA DA VIDA?

É tudo sobre a perspectiva. É impossível ser frustrado quando você é grato, e sempre há algo para agradecer. Lembre-se de que algumas pessoas estão rezando pelas coisas que você considera como garantidas.

O que quer que você se concentre se multiplica. Se você está focado em seus problemas ou frustrações, eles ficam maiores. Mas se você se concentrar no que agradece, a gratidão assume. Sempre que estou de mau humor ou me sinto negativo, mudo para a gratidão . Me faço três perguntas antes de começar meu dia:

1.  Sobre o que estou entusiasmado?
2. O que eu agradeço?
3. O que estou comprometido a fazer acontecer hoje, não importa o quê?

Como você encontra uma sensação de propósito em sua vida?

Para mim, é menos sobre propósito e mais sobre conhecer a si mesmo, sabendo como desencadear seu próprio fogo e saber o que é mais importante para você.

Não vale a pena ficar esperando que tudo na vida se alinhe perfeitamente. Isso é perda de tempo. Através de tentativa e erro, ação consistente, encontrando seus pontos fortes, identificando suas fraquezas e verdadeira autoconsciência, você descobrirá o que você quer para o resto de sua vida. Eu acredito que é mais sobre a realização do que apenas propósito.

Como você permanece fiel à sua visão, apesar dos obstáculos, contratempos ou falhas?

Primeiro, entendo que o fracasso é uma parte crucial do crescimento real, e pode ser uma coisa boa se abordado com a perspectiva certa. Não só o fracasso lhe dá uma nova perspectiva, mas uma perspectiva diferente da que você tinha antes. Quando você entende que o fracasso é bom, você assume isso com coragem e confiança. Você se torna mais sábio, e quando você tem um maior senso de compreensão sobre o que você falhou, seja na vida ou nos negócios, você pode tomar melhores decisões.

Depois de mudar sua perspectiva e entender que o fracasso é um ingrediente necessário da fórmula de sucesso, então você pode começar a se adaptar. Como você responde a falha determina seu sucesso.

Uma alta tolerância tanto ao estresse como ao fracasso é uma habilidade que as pessoas bem-sucedidas são altamente remuneradas. Então, o primeiro passo é entender que o fracasso não é apenas comum, é crucial e o sucesso não acontecerá sem ele. Quando você aprende a abraçar incerteza e fracasso, você realmente achará emocionante e estimulante. Eu gosto de falhar porque eu aprendo com isso, e minhas cicatrizes de batalha são o que me fez a pessoa que eu sou hoje.

Como você traz clareza à sua vida?

O sucesso é sobre se adaptar e ajustar de forma consistente, e quando você conceitua completamente que o caos está garantido, você aprenderá a aceitá-lo e a manobra-lo corretamente.

A fim de prosperar em empreendedorismo e negócios, você deve aprender a mudar de complexidade para simplicidade. A clareza é um subproduto da simplicidade e conhece suas prioridades. Quando você se livrar de todo o barulho na sua cabeça e se concentrar nas poucas atividades que mais importam, você ganhará um novo senso de consciência e clareza.

Não tente ser ótimo em 50 coisas. Seja obcecado com as poucas coisas que podem realmente mover seu negócio para a frente.

Estes são conselhos de vida do autor e empreendedor americano Peter Voogd.

Fonte: http://www.sucessonetwork.com.br/

Leia também…

MANUELDOLIVEIRAFILHO

O QUE ESTUDAR PRA EMPREENDER?

O que estudar ou se graduar pra ser dono de seu próprio negócio?

Atualmente os jovens (geração millenials ou  geração Y), nascidos entre as décadas de 80 a 90,  e mais ainda os recém saídos das escolas, a geração Z (Centennials ou Generation) , nascidos em 90 a 2010, certamente não pensam como as gerações passadas, onde os nossos drives mentais foram formatados pelos nossos pais e avós (geração babyboomers e silenciosa), na qual a busca pela independência financeira estava estritamente relacionada a ser somente um empregado, estudar para ter um diploma, realizar pós gradações para aperfeiçoar seus currículos na corrida para um grande cargo e salário, a fim de alavancar sua carreira profissional e alcançar ótimas posições, e ao final da vida se aposentar com uma única renda após décadas de trabalho numa só empresa.

Isso tudo mudou radicalmente, pois uma geração nascida conectada ao mundo virtual w.w.w da internet das coisas, multifacetada, multifuncional, onde a velocidade e a interatividade são seus pontos fortes, fica difícil se fixarem a horários, rotinas e aos antigos hábitos e ambientes de trabalho.

Em época de preparação para vestibular, a grande dúvida é qual curso escolher para se preparar para ser um dono de empresa. Muitas alternativas embaralham a cabeça de nossos jovens, como também na virada do ano, muitos adultos já empregados e graduados, na busca de um futuro promissor e com mais independência na carreira e de vida, procuram novas possibilidades de profissões e mercados. Por isso o interesse em graduações com nível superior como bacharelado, ou tecnólogo (nível 3º grau superior sem bacharelado) ou até mesmo por cursos de curta duração em sistema EAD (à distância), tem crescido bastante nos últimos anos nas Universidades, Faculdades e redes de ensino.

Estudantes ou pós graduados de outras áreas que pretendem empreender num futuro próximo, mas que acham importante uma preparação mais completa ou até graduação com enfoque no empreendedorismo e gestão, que pretendem montar com mais confiança e credibilidade os seus próprios negócios, as opções de formação são os bacharelados (3º grau nível superior) nas áreas da Administração, Gestão Comercial, Processos Gerenciais, Comércio Exterior ou Negócios Internacionais, Gestão Financeira e outros.

Nos cursos de graduação bacharelado a duração é de 4anos e o curso de Administração é o mais popular e completo, uma vez que abrange os negócios, finanças, contabilidade, direito, estatística, logística, marketing e recursos humanos.

Hoje em dia justamente devido a geração Y e Z não gostarem de perder tempo e dinheiro com deslocamentos e trânsito, nem ficarem desconectados dentro de uma sala de aula ou distantes das interfaces digitais, para conciliar estudo e trabalho ou atividades do dia a dia tem preferido se inscrever nos cursos à distância (EAD).

Listamos abaixo algumas modalidades de graduações e cursos nas principais faculdades do Sudeste.

_Graduação

Administração

http://www2.espm.br/cursos/espm-sao-paulo/administracao

https://www.ibmec.br/sp/cursos/graduacao/gestao-e-negocios/administracao

http://vestibular.fgv.br/cursos/curso-de-administracao-de-empresas-sp

http://www.fecap.br/graduacao/

_Empreendedorismo

https://www.insper.edu.br/empreendedorismo/cursos_e_disciplinas/

_Graduação tecnológica/Tecnólogo (superior/3º grau/sem bacharelado)

1.Tecnólogo em Empreendedorismo

2anos/a distancia

http://anhanguera.com/graduacao/cursos/superior-de-tecnologia-em-empreendedorismo.php

http://www.unoparead.com.br/documentos/guia-percurso/empreendedorismo.pdf?v=3

2.Gestão Comercial

2anos/EAD

 http://www.unicid.edu.br/graduacao/curso/gestco-comercial

http://www.riobrancofac.edu.br/site/cursos/graduacao-tecnologica/gestao-comercial/gestao-comercial.aspx

3.Gestão Financeira

http://www.saintpaul.com.br/graduacao/vestibular.html

_Cursos de pequena duração

1.PUC 4 meses

http://www.pucsp.br/pos-graduacao/especializacao-e-mba/empreendedorismo-e-gestao

MANUELDOLIVEIRAFILHO

7 TIPOS DE NEGÓCIOS QUE VOCÊ PODE ABRIR COM POUCO DINHEIRO

Você está sonhando em abrir seu próprio negócio, mas não tem muito dinheiro para investir. Fique tranquilo: você não é o único! Por mais que existam maneiras de conseguir o valor necessário (empréstimos, por exemplo), é possível optar por aportes pequenos.

Tenha em mente que todo tipo de negócio envolverá alguns gastos. Por exemplo: você terá de criar um domínio e um site, desenvolver uma estratégia de marketing e comprar equipamentos. Vale, portanto, fazer um plano de negócio antes de começar. Na hora de escolher o produto ou serviço que vai oferecer, leve os custos de produção e manutenção em conta.

1. Criações próprias
Nada melhor do que ganhar dinheiro fazendo aquilo que você já sabe. Por exemplo, se você é um pintor, pode vender suas obras de arte gastando nada mais do que os instrumentos que vai usar. Plataformas online gratuitas podem ajudá-lo com as vendas.

2. Serviços em casa
Esse tipo de serviço é rentável e não exige muitos gastos. Se você trabalha em casa – ou na vizinhança –, poupa tempo e economiza dinheiro. Como exemplo, pode-se citar o trabalho de babá ou passeador de cães.

3. Trabalhos de conserto
Assim como os serviços em casa, esse tipo de negócio não exige um ambiente de trabalho estabelecido e nenhum investimento exceto o das ferramentas. Se você possui algumas habilidades na área, pode trabalhar em conserto domésticos. Também pode fazer reparos em roupas.

4. Consultoria
Muitas pessoas só pensam em se tornar empreendedores depois de terem passado por muitos anos de experiência profissional. Com essa bagagem, podem abrir uma consultoria. A atividade exige pouco investimento inicial e, se o empreendedor aproveitar seus contatos profissionais, pode ser bastante rentável.

5. Revenda
O sistema é simples: você adquire produtos e os vende para outras pessoas. Você pode ser um representante de vendas, distribuidor ou atacadista. No último caso, será preciso fazer um investimento inicial maior, para formação de estoque.

6. Microempreendedorismo
Por último, você pode criar um mininegócio. Pode trabalhar em apps de serviço como Uber, alugar sua casa em plataformas como o AirBnB… As opções são muitas e, na maioria dos casos, o investimento inicial é baixíssimo.

7.  Marketing de Rede

Marketing de Rede trata-se de uma estratégia empresarial de distribuição de bens ou serviços, onde a divulgação dos produtos se dá pela indicação “boca a boca” feita pelos distribuidores independentes. O negócio é de baixíssimo investimento, alto retorno e sem risco, pois sua única adesão é um kit de produtos que poderá consumir ou revendê-lo. Atualmente o Marketing de rede é a melhor opção em época de crise para iniciar seu próprio negócio. Para saber mais sobre Marketing de rede acesse AQUI

Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

 

MANUELDOLIVEIRAFILHO

INDEPENDÊNCIA FINANCEIRA

Como acreditar nas promessas de ganhar dinheiro com tantas opções que vemos hoje em dia. Pois é, vamos desmistificar o que é INDEPENDÊNCIA  FINANCEIRA. Para a maioria das pessoas ter isso em sua vidas é praticamente impossível pois elas vivem presas no chamado “Senso Comum” que resume que somos feitos para ter um emprego. Mas ter Independência Financeira exige  responsabilidade, comprometimento, ter compromissos fortes para conquistar esse patamar na vida. Essa é a questão, as pessoas tem medo de ter compromissos por causa da sua zona de conforto. Para elas sair na sua zona de conforto é gastar muita energia, e desconfortável e isso faz com que as pessoas engavetem seus projetos por não ter coragem de colocá-los em prática. Pois ganhar dinheiro sem trabalho não existe, tudo requer muito trabalho. Infelizmente vemos promessas milagrosas de ganhar dinheiro fácil a todo momento e muitos se iludem nessa armadilha. Culturalmente somos ensinados a ter um emprego desde quando somos crianças, ouvimos nossos Pais nos falando, nossos colegas da escola, nossos amigos, enfim, somos influenciados a todo momento a ficar presos no “Senso Comum”onde a opinião da maioria importa. Nem sempre isso é verdade, temos o livre arbrítio de sermos o que quisermos. Não permita que pessoas fracassadas digam que você não é capaz de conquistar o que deseja, independente do que seja, siga a sua intuição e fique próximas de pessoas de sucesso, de pessoas que conquistaram seus sonhos. Você é a média das cinco pessoas que mais convive, talvez isso seja o que está impedindo de realizar os seus projetos, escolha bem seus amigos e influenciadores de opinião. Se for alguém muito próximo de você, como Pais ou Cônjuge, então o que resta é adicionar novas informações como leituras, palestras, etc. Isso vai fazer você blindar sua mente de todo negativismo que vivemos no mundo e te dará um horizonte para ampliar seus conhecimentos e conseqüentemente conquistar seus objetivos maiores do que simplesmente para suas contas.

Não sou contra ao emprego mas quero deixar claro que existe uma forma de obter renda sem depender de terceiros para sobreviver, e talvez você esteja preso no Senso Comum por influência da sociedade em que nós vivemos. A boa notícia é que você pode se libertar disso se quiser, através da mudança de mentalidade. Isso é possível através de cursos, leitura e de uma boa mentoria. Muito provavelmente você tem grandes sonhos e não consegue realizada-los por causa da sua renda e infelizmente as pessoas diminuem seus sonhos proporcionalmente a sua renda e vivem assim por longos anos de suas vidas. E no final acabam se conformando que ter sonhos é conseguir pagar suas contas, que é um grande erro.

Sou Manuel, Empreendedor e Consultor de Marketing de Rede. Passei por essas etapas na minha vida e hoje trabalho com pessoas ajudando-as a conquistar seus objetivos. Me contate para saber mais, deixe seu contato clicando AQUI  e em breve retornarei o contato para termos uma conversa inicial para saber o que você realmente precisa. Forte Abraço !

Leia também…

MANUELDOLIVEIRAFILHO

IMEDIATISMO

O Imediatismo mata seus sonhos

Paciência é algo raro hoje em dia. A maior parte das pessoas só está interessada no agora, no tempo presente. Não sabem esperar.

Esse padrão de comportamento é chamado de cultura do imediatismo, na qual as pessoas são escravas do presente imediato.

Na cultura do imediatismo, ao mesmo tempo em que queremos tudo para o presente, esquecemos que ele existe. As ações e os pensamentos são regidos pela ansiedade.

Só queremos agora o que não temos. E quando temos, já não basta. Vivemos em um eterno descontentamento.

A cultura do imediatismo nos faz esquecer o presente, apaga o passado e bloqueia o futuro. O tempo deixou de ser linear.

Agora ele pode ser considerado um “instante prolongado”, como argumenta o professor de estudos de mídia na The New School University de Manhattan, Douglas Rushkoff.

Rushkoff atribui a cultura do imediatismo às mídias digitais, que teriam abolido a ideia de amanhã.

Para ele, é preciso saber lidar com o chamado presentismo. Mas, pouca gente sabe como lidar e as pessoas acabam ficando desorientadas, sem conseguir se envolver e viver cada instante.

Aliados à rapidez e prontidão que as mídias digitais proporcionam, os excessos estão diretamente relacionados à cultura do imediatismo.

Há excessos de informações, de mídias, de demandas de opções de lazer virtual, dentre outros.

Na internet, por exemplo, ao mesmo tempo em que lemos uma notícia, trabalhamos e recebemos mensagens em forma de e-mail ou nas redes sociais.

E ninguém consegue esperar por nada. Quem enviou a mensagem quer uma resposta imediata e quem recebeu quer fazer tudo ao mesmo tempo: responder, ler notícias e continuar trabalhando.

Sentimos dificuldade em sair disso porque a cultura do imediatismo nos envolve de tal maneira que não somos capazes de nos mover. A todo momento, surgem coisas novas e nos sentimos obrigados a dar conta de tudo.

Não sabemos planejar nem priorizar – e o caos se instala nas nossas vidas. Atribuímos o vilão dessa perturbação a própria evolução tecnológica tão presente em nosso dia a dia.

Em muitos casos o imediatismo causa problemas psicológicos para o indivíduo onde afeta diretamente sua percepção do futuro. Tudo tem seu tempo e se deixarmos o imediatismo nos dominar certamente teremos problemas em conseguir construir algo de importante em nossas vidas, tanto no sentido pessoal como profissional.  Temos que aprender sermos pacientes mesmo vivendo num mundo em alta velocidade.

A cultura do imediatismo pode atrapalhar até em construirmos nossos sonhos que são tão importantes para nossa vida, por exemplo, iniciar uma faculdade, iniciar um negócio próprio, enfim, tudo que exija paciência e resiliência teremos grandes dificuldades em nos manter focados em nossos projetos se formos ansiosos e imediatistas.  A grande sabedoria dos vencedores é ser paciente e trabalhar focado nos objetivos. Isso exige treino e autocontrole.

Leia também….

 

MANUELDOLIVEIRAFILHO

DINHEIRO TRAZ FELICIDADE, SIM, APONTA PESQUISA

Dinheiro traz felicidade sim. A máxima contrária (de que não traz) está equivocada, segundo pesquisa da Sondagem do Bem-Estar apurados pela Fundação Getulio Vargas (FGV) e obtidos com exclusividade pelo Estadão/Broadcast. Quanto mais alta a renda do brasileiro, maior a pontuação no ranking de satisfação.

Os entrevistados que recebiam até R$ 1,2 mil por mês – a faixa de renda mais baixa da pesquisa – tiveram a menor média de felicidade, 7,58 pontos. Na faixa de renda mais alta, com pessoas que recebiam R$ 10 mil ou mais mensais, o nível de satisfação subiu para 8,22 pontos.

“Quando você pensa em satisfação com a vida, você leva em conta vários aspectos, subjetivos e objetivos. A questão da renda é muito importante, é bastante tocada nas pesquisas de bem-estar no mundo inteiro. Quanto maior a renda, a média de felicidade é mais alta”, confirmou Viviane Seda, coordenadora da sondagem no Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

Na pesquisa da FGV, a média de felicidade foi crescendo conforme a média de renda se ampliava: de R$ 1.200 a R$ 2.600 mensais, 7,77 pontos; de R$ 2.600 a R$ 5.250, 7,94 pontos; e de R$ 5.250 a R$ 10.000, 8,09 pontos.

Exemplos de vida

O vendedor ambulante Jorge Luís, de 61 anos, tem saudade da época em que ganhava dinheiro de forma considerável – três salários mínimos mensais – como auxiliar de serviços gerais, numa empresa prestadora de serviços para a Petrobrás. A perda do emprego e, consequentemente, da carteira assinada levou dele também direitos trabalhistas, benefícios e boa parte da renda familiar.

Hoje, vendendo picolés nas ruas do centro do Rio de Janeiro, ele ganha o suficiente para suas necessidades primárias, mas precisa da ajuda de parentes para o sustento da casa onde vive em Belford Roxo, na Baixada Fluminense.

“Naquela época nós éramos felizes e não sabíamos. Eu era mil vezes mais feliz do que hoje. Eu só consigo tirar meu sustento porque, graças a Deus, não pago aluguel e minha família me ajuda, todo mundo trabalha”, contou Luís.

Diego Nicheli Chagas viu sua satisfação pessoal aumentar conforme ascendia profissionalmente e em termos de dinheiro. Em menos de oito anos, o jovem passou de trainee a coordenador na área financeira do Grupo Estácio. Há apenas seis meses veio a última promoção, virou gerente de Operações Financeiras no conglomerado de educação.

“O salário foi ficando mais elevado, a vida começou a mudar. Eu, que era noivo, consegui me casar. Hoje minha mulher e eu temos a nossa casa. Depois de sete anos, além de ter me estabilizado financeiramente, estou estabilizado profissionalmente, estou muito mais feliz”, disse ele.

Conquistas

Com a evolução da renda de Diego Nicheli Chagas, surgiram novas oportunidades, descobertas, experiências para toda a família. “Venho de uma família um pouco mais humilde. Tive uma ascensão profissional rápida e consegui conquistar muitas coisas que não imaginava. Com certeza estamos mais satisfeitos agora. Com um salário maior você tem acesso a coisas novas, restaurantes melhores, viagens internacionais. Conseguimos proporcionar até para as nossas famílias algumas dessas viagens”, disse Diego.

Se por um lado a evolução da renda afeta positivamente a felicidade, o desemprego e a desigualdade impactam negativamente, mostrou a pesquisa da FGV.

“O Brasil é um País em desenvolvimento, tem muito a evoluir, tem que focar principalmente na redução da desigualdade. Não adianta aumentar a renda para uma faixa apenas. A renda tem que ser mais bem distribuída”, afirmou Viviane Seda.

Homens e paulistas mais felizes

Homens são mais felizes que as mulheres. Paulistas estão mais satisfeitos do que os cariocas. A diferença pode ser também explicada pela renda. Os homens tiveram 7,98 pontos no ranking de felicidade, ante 7,90 pontos das mulheres, numa escala de 0 a 10. Em São Paulo, o nível de satisfação alcançou 7,96 pontos. No Rio, o resultado foi de 7,91 pontos.

“Provavelmente essa média maior de felicidade em São Paulo do que no Rio tem a ver com a renda mesmo”, contou a coordenadora da pesquisa.

Apesar das diferenças, na média geral, os países da América Latina têm pontuação alta em relação a outros lugares do mundo, lembrou Viviane Seda: “Isso acontece por conta da questão do convívio social maior, mais interação entre as pessoas, isso ajuda na sensação de bem-estar”.

A Sondagem do Bem-Estar ouviu 2.594 moradores das cidades do Rio e São Paulo. A primeira fase de coleta ocorreu entre os dias 1.º de junho e 4 de agosto de 2016, enquanto a segunda etapa foi a campo de 5 de setembro a 31 de outubro do mesmo ano.

Fonte: https://acrediteounao.com/

Quer trabalhar por conta própria, sem chefe, de forma ética,CONHEÇA nossa proposta de trabalho.

MANUELDOLIVEIRAFILHO
12