• +(011)992413934
  • contato@missaoempreendedora.net.br

Tag Archives: Finanças

Gostaria de ser Próspero? Já pensou em empreender?

Que bom que você parou para ler este Post, eu sou empreendedor e ajudo outras pessoas a assumirem as rédeas das próprias vidas e gostaria de promover uma reflexão na sua vida como ocorreu na minha vida algum tempo atrás. Você já parou para pensar a quantidade de pessoas que hoje não tem tempo para as pessoas mais importantes da família? Quantas famílias acabam por conta dessa falta de tempo? Já parou para pensar a quantidade de pessoas que trabalham com coisas ou empregos que não veem significado naquilo? Simplesmente passam o dia no trabalho que elas não amam o que fazem mas mesmo assim  deixam a vida levar. Estatisticamente a maioria dos casamentos acabam por problemas financeiros, mais de 85% dos casamentos acabam decorrentes por falta de dinheiro! Então, poxa vida, por que será que ainda as pessoas ainda ficam desse jeito e não tomam atitude em relação a isso? E sabendo que é totalmente possível tomar uma decisão para melhorar suas vidas. Mas por conta da educação que a maioria das pessoas tiveram e por conta dos seus pensamentos e acabam seguindo a manada, a manada faz tudo exatamente igual, a manada faz tudo o que a maioria está fazendo. E qual o cenário? O resultado é que estão todos insatisfeitos.

Uma pesquisa feita pela ISMA BRASIL  mostra que mais de 82% dos brasileiros estão insatisfeitos com seus trabalhos. E outro ponto importante outra pesquisa feita pelo IBGE que a média de ganho do brasileiro é de R$2.200,00. E somente 1% da população ganha R$13.000,00 por mês. Agora eu lhe pergunto, como é possível realizar os sonhos de fato, conseguir fazer viagens incríveis, dar o melhor plano de saúde para família, promover segurança para família ganhando o que a maioria ganha? Eu descobri um jeito de mudar isso, um jeito de mudar esse cenário. A solução é assumir as rédeas da própria vida. É entender que você pode, é um caminho que não dependas do seu chefe, que você não dependa mais de outras pessoas ou situações, que você possa fazer seu próprio caminho. E através do seu esforço ganhar muito mais que a maioria dos brasileiros ganham ajudando outras pessoas, eu descobri isso e mudei minha vida por conta disso. 

Hoje qual meu propósito de vida, como eu conduzo minha vida, simplesmente ajudando outras pessoas a tomarem a mesma decisão. Eu te faço uma pergunta, hoje o plano que você tem para se tornar próspero está sendo aplicado? Você tem o plano para se tornar próspero? Hoje você tem a possibilidade de passar mais tempo com sua família? Hoje você tem a possibilidade de ajudar outras pessoas? Se as respostas possivelmente forem NÃO com certeza terá que pagar um preço alto lá na frente e irá se decepcionar com a vida que terá posteriormente e quero te ajudar!

Se fez sentido para você entre contato comigo. Meu nome é Manuel D Oliveira e sou Empreendedor Independente e estou aqui para mudar sua realidade. Entre em CONTATO para tirar suas dúvidas comigo e mudar a sua realidade!

Leia Também…

MANUELDOLIVEIRAFILHO

AUSÊNCIA DA EDUCAÇÃO FINANCEIRA E O ALTO ESTRESSE CAUSADO PELAS DÍVIDAS

O estresse causado pelas dívidas muitas vezes gera impacto tanto na vida profissional como na vida pessoal que pode ser evitado pela prática e conhecimento da educação financeira

Uma pessoa endividada muitas vezes não tem consciência de como a falta de planejamento financeiro e a ausência de uma vida financeira equilibrada poderá influenciar em sua vida.

O primeiro sintoma do excesso de dívida é o alto estresse causado pelas dívidas que, aos poucos, vão se materializando no corpo da pessoa. Segundo pesquisas do Employee Financial Education realizada em dezembro/2011 o alto estresse causado pelas dívidas causa impactos como:   

29% sofreram de ansiedade; 44% relataram fortes dores cabeça; 23% relataram depressão severa; 6% reportaram ataques cardíacos; 27% sofreram problemas digestivos; 51% relataram tensão muscular, como por exemplo, dores lombares.

Nesse contexto, tem-se uma piora do nível da saúde global do empregado, que reflete, por exemplo, no ambiente de trabalho e vida pessoal.

No ambiente de trabalho, um profissional com alto nível de estresse, não consegue se concentrar na execução do seu trabalho e tão pouco relacionar-se de forma cordial com os colegas de trabalho e clientes, gerando assim, o chamado presenteísmo.

Presenteísmo é o nome dado ao profissional que está presente fisicamente no ambiente de trabalho, mas não tem produtividade enquanto absenteísmo é a ausência do empregado no trabalho.

Por outro lado, a somatização das doenças ocasionadas pelo alto estresse causadas por dívida, é responsável pelo absenteísmo do empregado no trabalho e o excessivo gasto com saúde como consultas médica, exames e outros procedimentos necessários decorrentes do estresse.

Na vida pessoal, para o portador do alto índice de estresse por dívidas, muitas vezes, uma simples conversa sobre economizar dinheiro com os seus familiares é o estopim para um desentendimento severo.

Em alguns casos, o grau de endividamento é tão alto que, familiares optam por distanciar-se dos envidados.

Frente a esse cenário, a solução é educar-se financeiramente.

Nas escolas, às crianças, uma gama de conhecimentos é apresentada, porém, raras são as escolas que ensinam como cuidar do dinheiro.

Nesse sentido, erroneamente, muitos, acham que a educação financeira envolve apenas números e a privação das “coisas boas da vida”.

Entretanto, a educação financeira baseia-se em comportamento, ou seja, como as pessoas se comportam em relação ao dinheiro, ou seja, é preciso entender que o dinheiro é um meio de conquista e que uma relação conturbada com ele é o pilar de vários desgastes que prejudicam uma vida saudável.

Se a pessoa opta por uma vida desregrada financeiramente, compras por impulso, consumismo desenfreado, um padrão de vida maior que o seu, logo, estará quebrada financeiramente.

O primeiro passo, para uma vida financeira equilibrada é identificar em qual padrão de vida a pessoa se encaixa e de posse dessa informação, adequar todo o seu consumo.

Note que é adequar o consumo e não se privar dele.

É necessário adotar uma postura de consumo consciente e para isso, antes de adquirir um produto ou serviço, questionar-se:

• Eu realmente preciso desse produto/serviço?
• Estou consumindo porque eu quero ou por que isso vai me dar status?
• Eu consigo adquirir esse produto/serviço à vista ou precisarei me endividar?

Reflita sempre antes de consumir.

Outro ponto importante é descobrir para onde vai o dinheiro, ou seja, por 30 dias recomenda-se anotar todas as despesas, desde o cafezinho até o pagamento do financiamento. De posse desses dados, descobrir-se-á em quais itens há desperdício de dinheiro ou excesso de consumo.

No caso de excesso de consumo, o objetivo não é a privação e sim a diminuição da frequência de consumo da despesa.

Com o orçamento em mãos, o conhecimento e vivência do padrão de vida correto, o caminho para uma vida financeira equilibrada e feliz começará a ser trilhado.

Gostaria de fazer um 2018 diferente, aprendendo fazer o dinheiro trabalhar para você?

Entre em CONTATO  conosco e saiba como.

Leia Também…

MANUELDOLIVEIRAFILHO

6 RAZÕES QUE TE FAZEM ESTAR SEMPRE SEM DINHEIRO

A principal queixa de quem tem o sonho de empreender, mas não consegue é a falta de dinheiro. Que, por maior que seja o esforço, o salário não é o suficiente para custear as despesas mensais e ainda poupar para abrir o próprio negócio. No entanto, seus bolsos vazios podem não ser fruto do azar. A culpa pode ser sua.

A opinião é do empreendedor e especialista em finanças americano Grant Cardone. Ele afirma que, em muitos casos, a falta de conhecimento, um pouco de preguiça e crenças equivocadas podem fazer com que você não consiga ter dinheiro. Em artigo, publicado originalmente no site da revista “Entrepreneur”, Cardone listou quais os fatores que podem estar corroendo as suas chances de sucesso financeiro.

Saiba quais:

1. Analfabetismo financeiro:
Cardone afirma que a esmagadora maioria das pessoas, e até dos empreendedores, não sabe nada sobre finanças. E ele nem está falando de fundamentos avançados que são ensinados apenas nas faculdades de ciências econômicas espalhadas pelo mundo. No caso, as pessoas não costumam nem ter planilhas de despesas, recurso simples para ver que gastos podem ser cortados.

Falta também conhecimento para investir as economias em fundos que rendam mais que a poupança e nem são tão arriscados assim. É importante não gastar em coisas desnecessárias e fazer o possível para o seu dinheiro render.

2. A casa da mamãe:
Jovens que ficam na casa dos pais normalmente o fazem para não arcar com custos extras de quem mora sozinho. No entanto, segundo Cardone, sair de casa vai fazer você ter mais dinheiro. Isso acontece porque se obriga a trabalhar mais para pagar o aluguel, o supermercado e as contas. Ao sair da zona de conforto para viver sozinho, fica mais fácil se esforçar para buscar a renda extra que pode, por exemplo, ser usada para abrir o seu negócio.

3. A crença no governo:
Para Cardone, ninguém deve esperar que o governo melhore sua vida, porque o mais provável é que nada acontecerá. Ele diz que você não deve esperar que a situação melhore. O que deve ser feito, segundo ele, é trabalhar para não depender de nenhuma benesse governamental.

4. Não botar a mão na massa:
Dica especial para quem já empreende: você não vai ter sucesso se quiser só coordenar o trabalho de sua equipe. É preciso estar disposto a fazer todos os trabalhos da empresa, ainda mais se você não tiver muita gente trabalhando com você.

Você tem que administrar o negócio, mas também saber vender, gerir pessoas e até fazer o cafezinho, se necessário. Assim, fica mais fácil ajudar sua equipe em momentos de emergência, como quando alguém falta, e ainda inspirar quem trabalha contigo.

5. Comparar-se a quem está pior:
Muita gente tenta se consolar dizendo que “não está tão mal assim”, porque há pessoas que nem emprego têm. De fato, você não está tão mal assim. Mas se você quiser crescer, o importante é se espelhar em quem está melhor com você. O conformismo impede a saída da zona de conforto, de acordo com Cardone.

6. Trabalhar oito horas por dia
Cardone afirma que oportunidades de sucesso não aparecem apenas das 9h às 18h, de segunda a sexta-feira. Por isso, você não deve trabalhar somente oito horas por dia. Esteja disposto a buscar uma renda extra, ou a resolver os problemas de seus clientes, sempre que possível.

Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

Conheça uma forma de trabalho que está posicionando muitas pessoas no mercado de trabalho como empreendedores independentes. CLIQUE AQUI  e saiba mais.

 

MANUELDOLIVEIRAFILHO
1