• +(011)992413934
  • contato@missaoempreendedora.net.br

Tag Archives: dinheiro

Os 8 hábitos de milionários que você pode imitar

Não deixe de ler essas dicas de estudiosos da vida de milionários para entender os hábitos simples e inspiradores que necessita ter.

 

Qual será a fórmula mágica dos milionários para enriquecer? Temos uma notícia decepcionante: não existe uma. Mas seus hábitos podem ser bem mais instigantes do que apenas trabalhar muito, gastar menos e investir.

Estas dicas não são conselhos que vão torná-lo um milionário imediatamente, mas eles podem motivar a repensar se seu cotidiano está contribuindo para o seu enriquecimento financeiro e pessoal.

1. Ficar sozinho

Passar alguns minutos do dia sozinho, apenas com a companhia dos seus pensamentos, é um hábito dos ricos, segundo um dos principais estudiosos sobre o assunto no mundo, Thomas Corley.

“Pensar é a chave para o sucesso”, escreve Corley.Todos os dias, os milionários passam algum tempo fazendo brainstorm consigo mesmos sobre muitas coisas.”

Corley não foi o único a apontar esse hábito como recorrente entre os milionários. Um estudo norte-americano publicado este ano pela Universidade Emory em parceria com a Universidade de Minnesota mostrou que pessoas ricas nos Estados Unidos passam menos tempo em eventos sociais do que as pessoas quem têm menos dinheiro.

“O acesso ao dinheiro está relacionado a menos tempo ou a menos interesse para ficar com os outros”, explicou o co-autor do estudo, Emily Bianchi, à revista The Atlantic.

2. Buscar autoconhecimento

Ficar mais tempo sozinho pode estar relacionado ao autoconhecimento.

“Ficar consigo mesmo é uma forma de entender o seu propósito em vez de deixar a vida levar. Quando você não tem objetivos, sejam financeiros ou pessoais, não segue um caminho para realizá-los e qualquer caminho serve”, explica o educador financeiro Rafael Seabra, autor do livro Quero ficar rico.

Entender o que você quer e o que importa para você é um passo importante para controlar os gastos e tomar decisões financeiras com um foco.

3. Ler muito

Os ricos preferem “ser educados do que entretidos”, como escreve Thomas Corley. Em seu estudo, ele observou que a maioria dos milionários dedicava no mínimo meia hora ou mais do seu dia para ler sobre algo novo.

Entre os livros preferidos dos ricos, estão os de história, as biografias de pessoas bem-sucedidas e os de autoajuda.

O hábito da leitura na infância também pode ser um indicativo de sucesso financeiro no futuro, como mostrou uma pesquisa italiana realizada pela Universidade de Pádua e divulgada na revista científica The Economic Journal. Crianças que leem livros durante a infância são capazes de ter mais dinheiro na vida adulta.

“Conhecimento é poder em potencial”, explica o educador financeiro Rafael Seabra. Além de fornecer conhecimento, o hábito da leitura também contribui para aprimorar a capacidade de comunicação, o que é essencial para enriquecer, segundo ele.

4. Planejar a rotina

Foco e concentração são caraterísticas comuns de milinários, como observa a coach de alta performance Paula Abreu. “Todos os milionários e até bilionários que eu conheço têm uma rotina matinal, que pode incluir meditação, respiração, leituras inspiradoras e o hábito de escrever”, observa.

Planejar o dia logo na primeira hora e estabelecer três prioridades aumenta a produtividade e evita distrações.

5. Praticar exercícios físicos

Outro hábito rigoroso que deve ser incluído na rotina é a prática de exercícios físicos.

Como observou Thomas Corley em seu estudo, a maioria dos milionários pratica exercícios aeróbicos por, no mínimo, 30 minutos por dia. O exercício físico está relacionado ao preparo do corpo e da mente para ter produtividade.

6. Se permitir sair da rotina

Nem tanto ao céu, nem tanto à terra. Já ouviu esse ditado? Se por um lado é importantíssimo seguir uma rotina planejada, por outro, também é importante fugir dela de vez em quando. Bill Gates, por exemplo, é conhecido por ficar semanas inacessível, fora do radar.

Boas ideias de como ganhar dinheiro surgem no tempo livre, quando as pessoas saem da rotina.

7. Listar objetivos

Perseguir os próprios objetivos traz felicidade no longo prazo e resulta em acumulação de riqueza, segundo especialistas. Quando se tem sonhos, ganhar dinheiro é só um meio para atingí-los e tornar a vida mais estimulante.

“A razão número um pela qual a maioria das pessoas não consegue o que quer é que elas não sabem o que querem “, escreve Harv Eker no best-seller Os segredos da mente milionária.

Como observa a coach Paula Abreu, pessoas ricas sabem onde gostariam de estar daqui 10 ou 20 anos, “enquanto a maioria não sabe nem o que quer até o fim do ano”.

8. Praticar gratidão

Isso não significa apenas acrescentar a hashtag #gratidão em suas fotos nas redes sociais, mas criar de um hábito verdadeiro de listar, no fim de cada dia, o que você aprendeu ou pelo que é grato.

Popularizada por Oprah Winfrey, a prática da gratidão é, de fato, produtiva, segundo a coach Paula Abreu. Ela ajuda a ter uma visão positiva sobre a vida, o que contribui para alcançar objetivos, enxergando desafios em vez de problemas.

Leia Também…

MANUELDOLIVEIRAFILHO

Criação da Riqueza (Por Paulo Vieira)

Por que você não ganha tanto dinheiro como gostaria?

Com matriz em Fortaleza, núcleos em mais de 20 cidades do Brasil e parcerias nos EUA, a Febracis já impactou mais de 300 mil pessoas ao longo de sua trajetória. A história da federação começa em 1998 ainda como Instituto Paulo Vieira e só depois passa a ser chamada Febracis, reforçando a continuidade do compromisso em atender seus clientes com respeito e responsabilidade. A atuação da Febracis é destaque no mercado por transformar vidas por meio do Coaching Integral Sistêmico (CIS), um processo que se adequa à sua realidade de modo que ele gere as melhores possibilidades e estratégias para conquistar um estilo de vida abundante.

Ao longo dos últimos 18 anos, o presidente da Febracis, Master Coach e PhD em coaching pela Florida Cristhian University (FCU), Paulo Vieira, vem  aperfeiçoando a metodologia do Coaching Integral Sistêmico, criada e desenvolvida por ele. Professor da FCU, Paulo Vieira é um dos mais conceituados coaches do Brasil com mais de 10.500 horas em sessões individuais de coaching. O CIS® se diferencia do coaching tradicional por trabalhar de forma integral a razão e a emoção, de modo que é possível obter alta performance pessoal e profissional sem comprometer nenhuma área da vida. Saúde, família, conjugal, financeiro, social, entre outras áreas, são trabalhadas no processo.

Assista a Palestra, clique na foto abaixo:

 

Leia Também…

 

MANUELDOLIVEIRAFILHO

AUSÊNCIA DA EDUCAÇÃO FINANCEIRA E O ALTO ESTRESSE CAUSADO PELAS DÍVIDAS

O estresse causado pelas dívidas muitas vezes gera impacto tanto na vida profissional como na vida pessoal que pode ser evitado pela prática e conhecimento da educação financeira

Uma pessoa endividada muitas vezes não tem consciência de como a falta de planejamento financeiro e a ausência de uma vida financeira equilibrada poderá influenciar em sua vida.

O primeiro sintoma do excesso de dívida é o alto estresse causado pelas dívidas que, aos poucos, vão se materializando no corpo da pessoa. Segundo pesquisas do Employee Financial Education realizada em dezembro/2011 o alto estresse causado pelas dívidas causa impactos como:   

29% sofreram de ansiedade; 44% relataram fortes dores cabeça; 23% relataram depressão severa; 6% reportaram ataques cardíacos; 27% sofreram problemas digestivos; 51% relataram tensão muscular, como por exemplo, dores lombares.

Nesse contexto, tem-se uma piora do nível da saúde global do empregado, que reflete, por exemplo, no ambiente de trabalho e vida pessoal.

No ambiente de trabalho, um profissional com alto nível de estresse, não consegue se concentrar na execução do seu trabalho e tão pouco relacionar-se de forma cordial com os colegas de trabalho e clientes, gerando assim, o chamado presenteísmo.

Presenteísmo é o nome dado ao profissional que está presente fisicamente no ambiente de trabalho, mas não tem produtividade enquanto absenteísmo é a ausência do empregado no trabalho.

Por outro lado, a somatização das doenças ocasionadas pelo alto estresse causadas por dívida, é responsável pelo absenteísmo do empregado no trabalho e o excessivo gasto com saúde como consultas médica, exames e outros procedimentos necessários decorrentes do estresse.

Na vida pessoal, para o portador do alto índice de estresse por dívidas, muitas vezes, uma simples conversa sobre economizar dinheiro com os seus familiares é o estopim para um desentendimento severo.

Em alguns casos, o grau de endividamento é tão alto que, familiares optam por distanciar-se dos envidados.

Frente a esse cenário, a solução é educar-se financeiramente.

Nas escolas, às crianças, uma gama de conhecimentos é apresentada, porém, raras são as escolas que ensinam como cuidar do dinheiro.

Nesse sentido, erroneamente, muitos, acham que a educação financeira envolve apenas números e a privação das “coisas boas da vida”.

Entretanto, a educação financeira baseia-se em comportamento, ou seja, como as pessoas se comportam em relação ao dinheiro, ou seja, é preciso entender que o dinheiro é um meio de conquista e que uma relação conturbada com ele é o pilar de vários desgastes que prejudicam uma vida saudável.

Se a pessoa opta por uma vida desregrada financeiramente, compras por impulso, consumismo desenfreado, um padrão de vida maior que o seu, logo, estará quebrada financeiramente.

O primeiro passo, para uma vida financeira equilibrada é identificar em qual padrão de vida a pessoa se encaixa e de posse dessa informação, adequar todo o seu consumo.

Note que é adequar o consumo e não se privar dele.

É necessário adotar uma postura de consumo consciente e para isso, antes de adquirir um produto ou serviço, questionar-se:

• Eu realmente preciso desse produto/serviço?
• Estou consumindo porque eu quero ou por que isso vai me dar status?
• Eu consigo adquirir esse produto/serviço à vista ou precisarei me endividar?

Reflita sempre antes de consumir.

Outro ponto importante é descobrir para onde vai o dinheiro, ou seja, por 30 dias recomenda-se anotar todas as despesas, desde o cafezinho até o pagamento do financiamento. De posse desses dados, descobrir-se-á em quais itens há desperdício de dinheiro ou excesso de consumo.

No caso de excesso de consumo, o objetivo não é a privação e sim a diminuição da frequência de consumo da despesa.

Com o orçamento em mãos, o conhecimento e vivência do padrão de vida correto, o caminho para uma vida financeira equilibrada e feliz começará a ser trilhado.

Gostaria de fazer um 2018 diferente, aprendendo fazer o dinheiro trabalhar para você?

Entre em CONTATO  conosco e saiba como.

Leia Também…

MANUELDOLIVEIRAFILHO

O QUE ESTUDAR PRA EMPREENDER?

O que estudar ou se graduar pra ser dono de seu próprio negócio?

Atualmente os jovens (geração millenials ou  geração Y), nascidos entre as décadas de 80 a 90,  e mais ainda os recém saídos das escolas, a geração Z (Centennials ou Generation) , nascidos em 90 a 2010, certamente não pensam como as gerações passadas, onde os nossos drives mentais foram formatados pelos nossos pais e avós (geração babyboomers e silenciosa), na qual a busca pela independência financeira estava estritamente relacionada a ser somente um empregado, estudar para ter um diploma, realizar pós gradações para aperfeiçoar seus currículos na corrida para um grande cargo e salário, a fim de alavancar sua carreira profissional e alcançar ótimas posições, e ao final da vida se aposentar com uma única renda após décadas de trabalho numa só empresa.

Isso tudo mudou radicalmente, pois uma geração nascida conectada ao mundo virtual w.w.w da internet das coisas, multifacetada, multifuncional, onde a velocidade e a interatividade são seus pontos fortes, fica difícil se fixarem a horários, rotinas e aos antigos hábitos e ambientes de trabalho.

Em época de preparação para vestibular, a grande dúvida é qual curso escolher para se preparar para ser um dono de empresa. Muitas alternativas embaralham a cabeça de nossos jovens, como também na virada do ano, muitos adultos já empregados e graduados, na busca de um futuro promissor e com mais independência na carreira e de vida, procuram novas possibilidades de profissões e mercados. Por isso o interesse em graduações com nível superior como bacharelado, ou tecnólogo (nível 3º grau superior sem bacharelado) ou até mesmo por cursos de curta duração em sistema EAD (à distância), tem crescido bastante nos últimos anos nas Universidades, Faculdades e redes de ensino.

Estudantes ou pós graduados de outras áreas que pretendem empreender num futuro próximo, mas que acham importante uma preparação mais completa ou até graduação com enfoque no empreendedorismo e gestão, que pretendem montar com mais confiança e credibilidade os seus próprios negócios, as opções de formação são os bacharelados (3º grau nível superior) nas áreas da Administração, Gestão Comercial, Processos Gerenciais, Comércio Exterior ou Negócios Internacionais, Gestão Financeira e outros.

Nos cursos de graduação bacharelado a duração é de 4anos e o curso de Administração é o mais popular e completo, uma vez que abrange os negócios, finanças, contabilidade, direito, estatística, logística, marketing e recursos humanos.

Hoje em dia justamente devido a geração Y e Z não gostarem de perder tempo e dinheiro com deslocamentos e trânsito, nem ficarem desconectados dentro de uma sala de aula ou distantes das interfaces digitais, para conciliar estudo e trabalho ou atividades do dia a dia tem preferido se inscrever nos cursos à distância (EAD).

Listamos abaixo algumas modalidades de graduações e cursos nas principais faculdades do Sudeste.

_Graduação

Administração

http://www2.espm.br/cursos/espm-sao-paulo/administracao

https://www.ibmec.br/sp/cursos/graduacao/gestao-e-negocios/administracao

http://vestibular.fgv.br/cursos/curso-de-administracao-de-empresas-sp

http://www.fecap.br/graduacao/

_Empreendedorismo

https://www.insper.edu.br/empreendedorismo/cursos_e_disciplinas/

_Graduação tecnológica/Tecnólogo (superior/3º grau/sem bacharelado)

1.Tecnólogo em Empreendedorismo

2anos/a distancia

http://anhanguera.com/graduacao/cursos/superior-de-tecnologia-em-empreendedorismo.php

http://www.unoparead.com.br/documentos/guia-percurso/empreendedorismo.pdf?v=3

2.Gestão Comercial

2anos/EAD

 http://www.unicid.edu.br/graduacao/curso/gestco-comercial

http://www.riobrancofac.edu.br/site/cursos/graduacao-tecnologica/gestao-comercial/gestao-comercial.aspx

3.Gestão Financeira

http://www.saintpaul.com.br/graduacao/vestibular.html

_Cursos de pequena duração

1.PUC 4 meses

http://www.pucsp.br/pos-graduacao/especializacao-e-mba/empreendedorismo-e-gestao

MANUELDOLIVEIRAFILHO

7 TIPOS DE NEGÓCIOS QUE VOCÊ PODE ABRIR COM POUCO DINHEIRO

Você está sonhando em abrir seu próprio negócio, mas não tem muito dinheiro para investir. Fique tranquilo: você não é o único! Por mais que existam maneiras de conseguir o valor necessário (empréstimos, por exemplo), é possível optar por aportes pequenos.

Tenha em mente que todo tipo de negócio envolverá alguns gastos. Por exemplo: você terá de criar um domínio e um site, desenvolver uma estratégia de marketing e comprar equipamentos. Vale, portanto, fazer um plano de negócio antes de começar. Na hora de escolher o produto ou serviço que vai oferecer, leve os custos de produção e manutenção em conta.

1. Criações próprias
Nada melhor do que ganhar dinheiro fazendo aquilo que você já sabe. Por exemplo, se você é um pintor, pode vender suas obras de arte gastando nada mais do que os instrumentos que vai usar. Plataformas online gratuitas podem ajudá-lo com as vendas.

2. Serviços em casa
Esse tipo de serviço é rentável e não exige muitos gastos. Se você trabalha em casa – ou na vizinhança –, poupa tempo e economiza dinheiro. Como exemplo, pode-se citar o trabalho de babá ou passeador de cães.

3. Trabalhos de conserto
Assim como os serviços em casa, esse tipo de negócio não exige um ambiente de trabalho estabelecido e nenhum investimento exceto o das ferramentas. Se você possui algumas habilidades na área, pode trabalhar em conserto domésticos. Também pode fazer reparos em roupas.

4. Consultoria
Muitas pessoas só pensam em se tornar empreendedores depois de terem passado por muitos anos de experiência profissional. Com essa bagagem, podem abrir uma consultoria. A atividade exige pouco investimento inicial e, se o empreendedor aproveitar seus contatos profissionais, pode ser bastante rentável.

5. Revenda
O sistema é simples: você adquire produtos e os vende para outras pessoas. Você pode ser um representante de vendas, distribuidor ou atacadista. No último caso, será preciso fazer um investimento inicial maior, para formação de estoque.

6. Microempreendedorismo
Por último, você pode criar um mininegócio. Pode trabalhar em apps de serviço como Uber, alugar sua casa em plataformas como o AirBnB… As opções são muitas e, na maioria dos casos, o investimento inicial é baixíssimo.

7.  Marketing de Rede

Marketing de Rede trata-se de uma estratégia empresarial de distribuição de bens ou serviços, onde a divulgação dos produtos se dá pela indicação “boca a boca” feita pelos distribuidores independentes. O negócio é de baixíssimo investimento, alto retorno e sem risco, pois sua única adesão é um kit de produtos que poderá consumir ou revendê-lo. Atualmente o Marketing de rede é a melhor opção em época de crise para iniciar seu próprio negócio. Para saber mais sobre Marketing de rede acesse AQUI

Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

 

MANUELDOLIVEIRAFILHO

INDEPENDÊNCIA FINANCEIRA

Como acreditar nas promessas de ganhar dinheiro com tantas opções que vemos hoje em dia. Pois é, vamos desmistificar o que é INDEPENDÊNCIA  FINANCEIRA. Para a maioria das pessoas ter isso em sua vidas é praticamente impossível pois elas vivem presas no chamado “Senso Comum” que resume que somos feitos para ter um emprego. Mas ter Independência Financeira exige  responsabilidade, comprometimento, ter compromissos fortes para conquistar esse patamar na vida. Essa é a questão, as pessoas tem medo de ter compromissos por causa da sua zona de conforto. Para elas sair na sua zona de conforto é gastar muita energia, e desconfortável e isso faz com que as pessoas engavetem seus projetos por não ter coragem de colocá-los em prática. Pois ganhar dinheiro sem trabalho não existe, tudo requer muito trabalho. Infelizmente vemos promessas milagrosas de ganhar dinheiro fácil a todo momento e muitos se iludem nessa armadilha. Culturalmente somos ensinados a ter um emprego desde quando somos crianças, ouvimos nossos Pais nos falando, nossos colegas da escola, nossos amigos, enfim, somos influenciados a todo momento a ficar presos no “Senso Comum”onde a opinião da maioria importa. Nem sempre isso é verdade, temos o livre arbrítio de sermos o que quisermos. Não permita que pessoas fracassadas digam que você não é capaz de conquistar o que deseja, independente do que seja, siga a sua intuição e fique próximas de pessoas de sucesso, de pessoas que conquistaram seus sonhos. Você é a média das cinco pessoas que mais convive, talvez isso seja o que está impedindo de realizar os seus projetos, escolha bem seus amigos e influenciadores de opinião. Se for alguém muito próximo de você, como Pais ou Cônjuge, então o que resta é adicionar novas informações como leituras, palestras, etc. Isso vai fazer você blindar sua mente de todo negativismo que vivemos no mundo e te dará um horizonte para ampliar seus conhecimentos e conseqüentemente conquistar seus objetivos maiores do que simplesmente para suas contas.

Não sou contra ao emprego mas quero deixar claro que existe uma forma de obter renda sem depender de terceiros para sobreviver, e talvez você esteja preso no Senso Comum por influência da sociedade em que nós vivemos. A boa notícia é que você pode se libertar disso se quiser, através da mudança de mentalidade. Isso é possível através de cursos, leitura e de uma boa mentoria. Muito provavelmente você tem grandes sonhos e não consegue realizada-los por causa da sua renda e infelizmente as pessoas diminuem seus sonhos proporcionalmente a sua renda e vivem assim por longos anos de suas vidas. E no final acabam se conformando que ter sonhos é conseguir pagar suas contas, que é um grande erro.

Sou Manuel, Empreendedor e Consultor de Marketing de Rede. Passei por essas etapas na minha vida e hoje trabalho com pessoas ajudando-as a conquistar seus objetivos. Me contate para saber mais, deixe seu contato clicando AQUI  e em breve retornarei o contato para termos uma conversa inicial para saber o que você realmente precisa. Forte Abraço !

Leia também…

MANUELDOLIVEIRAFILHO

DINHEIRO TRAZ FELICIDADE, SIM, APONTA PESQUISA

Dinheiro traz felicidade sim. A máxima contrária (de que não traz) está equivocada, segundo pesquisa da Sondagem do Bem-Estar apurados pela Fundação Getulio Vargas (FGV) e obtidos com exclusividade pelo Estadão/Broadcast. Quanto mais alta a renda do brasileiro, maior a pontuação no ranking de satisfação.

Os entrevistados que recebiam até R$ 1,2 mil por mês – a faixa de renda mais baixa da pesquisa – tiveram a menor média de felicidade, 7,58 pontos. Na faixa de renda mais alta, com pessoas que recebiam R$ 10 mil ou mais mensais, o nível de satisfação subiu para 8,22 pontos.

“Quando você pensa em satisfação com a vida, você leva em conta vários aspectos, subjetivos e objetivos. A questão da renda é muito importante, é bastante tocada nas pesquisas de bem-estar no mundo inteiro. Quanto maior a renda, a média de felicidade é mais alta”, confirmou Viviane Seda, coordenadora da sondagem no Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

Na pesquisa da FGV, a média de felicidade foi crescendo conforme a média de renda se ampliava: de R$ 1.200 a R$ 2.600 mensais, 7,77 pontos; de R$ 2.600 a R$ 5.250, 7,94 pontos; e de R$ 5.250 a R$ 10.000, 8,09 pontos.

Exemplos de vida

O vendedor ambulante Jorge Luís, de 61 anos, tem saudade da época em que ganhava dinheiro de forma considerável – três salários mínimos mensais – como auxiliar de serviços gerais, numa empresa prestadora de serviços para a Petrobrás. A perda do emprego e, consequentemente, da carteira assinada levou dele também direitos trabalhistas, benefícios e boa parte da renda familiar.

Hoje, vendendo picolés nas ruas do centro do Rio de Janeiro, ele ganha o suficiente para suas necessidades primárias, mas precisa da ajuda de parentes para o sustento da casa onde vive em Belford Roxo, na Baixada Fluminense.

“Naquela época nós éramos felizes e não sabíamos. Eu era mil vezes mais feliz do que hoje. Eu só consigo tirar meu sustento porque, graças a Deus, não pago aluguel e minha família me ajuda, todo mundo trabalha”, contou Luís.

Diego Nicheli Chagas viu sua satisfação pessoal aumentar conforme ascendia profissionalmente e em termos de dinheiro. Em menos de oito anos, o jovem passou de trainee a coordenador na área financeira do Grupo Estácio. Há apenas seis meses veio a última promoção, virou gerente de Operações Financeiras no conglomerado de educação.

“O salário foi ficando mais elevado, a vida começou a mudar. Eu, que era noivo, consegui me casar. Hoje minha mulher e eu temos a nossa casa. Depois de sete anos, além de ter me estabilizado financeiramente, estou estabilizado profissionalmente, estou muito mais feliz”, disse ele.

Conquistas

Com a evolução da renda de Diego Nicheli Chagas, surgiram novas oportunidades, descobertas, experiências para toda a família. “Venho de uma família um pouco mais humilde. Tive uma ascensão profissional rápida e consegui conquistar muitas coisas que não imaginava. Com certeza estamos mais satisfeitos agora. Com um salário maior você tem acesso a coisas novas, restaurantes melhores, viagens internacionais. Conseguimos proporcionar até para as nossas famílias algumas dessas viagens”, disse Diego.

Se por um lado a evolução da renda afeta positivamente a felicidade, o desemprego e a desigualdade impactam negativamente, mostrou a pesquisa da FGV.

“O Brasil é um País em desenvolvimento, tem muito a evoluir, tem que focar principalmente na redução da desigualdade. Não adianta aumentar a renda para uma faixa apenas. A renda tem que ser mais bem distribuída”, afirmou Viviane Seda.

Homens e paulistas mais felizes

Homens são mais felizes que as mulheres. Paulistas estão mais satisfeitos do que os cariocas. A diferença pode ser também explicada pela renda. Os homens tiveram 7,98 pontos no ranking de felicidade, ante 7,90 pontos das mulheres, numa escala de 0 a 10. Em São Paulo, o nível de satisfação alcançou 7,96 pontos. No Rio, o resultado foi de 7,91 pontos.

“Provavelmente essa média maior de felicidade em São Paulo do que no Rio tem a ver com a renda mesmo”, contou a coordenadora da pesquisa.

Apesar das diferenças, na média geral, os países da América Latina têm pontuação alta em relação a outros lugares do mundo, lembrou Viviane Seda: “Isso acontece por conta da questão do convívio social maior, mais interação entre as pessoas, isso ajuda na sensação de bem-estar”.

A Sondagem do Bem-Estar ouviu 2.594 moradores das cidades do Rio e São Paulo. A primeira fase de coleta ocorreu entre os dias 1.º de junho e 4 de agosto de 2016, enquanto a segunda etapa foi a campo de 5 de setembro a 31 de outubro do mesmo ano.

Fonte: https://acrediteounao.com/

Quer trabalhar por conta própria, sem chefe, de forma ética,CONHEÇA nossa proposta de trabalho.

MANUELDOLIVEIRAFILHO

REDUZI MINHAS CONTAS NO SUPERMERCADO, SABE COMO?

Um dos maiores gastos na minha conta bancária eram as despesas domésticas, quase o triplo das contas de condomínio, colégio, faculdade, saúde e tudo mais, o maior furo no meu bolso. 

Existem pessoas que tem tem aflição e tristeza em sair ao supermercado. Dependendo do mês não podem comprar supérfluos e guloseimas, mas o que mais deprime a maioria das pessoas é tirar do carrinho um desejo de um filho.

Mas encontrei uma solução para os meus problemas!!!!! 

Só pra começar, economizei R$500,00 em compras no mercado! 

Te interessa saber como!???

Primeiro. Vamos ver se você se encaixa no perfil de CONSUMIDOR INTELIGENTE.

Você gosta de ganhar pontos por programas de pontuação por compras, participar sorteios, ganhar presentes, brindes, novas compras, descontos, viagens ou até dinheiro consumindo produtos?

Segundo. Para saber que perfil de consumidor é você, mais uma perguntinha.

VOCÊ USA PASTA DE DENTE?

Compra desodorante? Toma banho com shampoo, sabonete? Faz barba? Limpeza doméstica?

Então você precisa CONHECER!!!!!  😉 

O que é um consumidor inteligente?

Todos os dias pessoas comuns, consumidores em geral, vão até o supermercado, feiras, shoppings, farmácias, lavanderias,  perfumarias; enfim, consumimos produtos básicos e de uso diários sempre, não é mesmo.

E se eu te disser que você pode reduzir as suas contas e dívidas nesses comércios em geral, somente consumindo produtos de altíssima qualidade e de marcas renomadas em só uma empresa, que pode te oferecer uma nova realidade de vida, uma oportunidade de alcançar a liberdade financeira e participar do lucro dessa empresa.

Apenas ESCOVANDO OS DENTES!!!  😆 

Somente lavando o rosto, hidratando a pele, se nutrindo, se alimentando, ou até fazendo a barba, ou a maquiagem pro trabalho, enfim, você escolhe como quer receber bonificações pelo consumo no dia a dia.

Fidelizando seu consumo de produtos e uso diário em casa, no trabalho, na vizinhança, com os colegas, amigos e família você irá se beneficiar ainda mais com o cuidado de seu corpo, saúde, bem estar, da sua família e da sua casa.

Simples assim.

Bem-vindo à Era da Nova Economia!!!!

Na economia compartilhada, dividindo o lucro da empresa com os seus próprios consumidores, você terá de 5 a 50% de lucro e descontos em variados produtos de consumo diários.

Não é todo dia que recebemos uma grande oportunidade e que podemos compartilhar com quem gostamos.

O consumo inteligente, consciente e sustentável vem para proporcionar um estilo de vida mais digno e sonhado pela população consumidora.

Sempre estamos dividindo com nossos conhecidos nossas preferência e gostos. Indicamos médicos, dentistas, cabeleireiros, lojas e marcas, mas nem sempre somos agradecidos ou contemplados por isso.

Agora com essa oportunidade temos a chance de ajudar pessoas que como nós, consomem também produtos diários e também podem compartilhar essa ideia. De forma colaborativa, social, educativa e solidária podemos juntos obter satisfação financeira, realização pessoal de planos e carreira independente da nossa situação social, cultural ou financeira, a chance é para todos.

Junte-se a nós.

Seja um consumidor inteligente.

Clique aqui

Meu nome é Manuel, eu e minha família e amigos somos consumidores inteligentes e ajudamos pessoas a realizar seus projetos de vida.

 

MANUELDOLIVEIRAFILHO

MARKETING MULTINÍVEL É UM BOM NEGÓCIO ?

Quase 13 milhões de pessoas estão desempregadas no Brasil, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Sem expectativas de conseguir carteira assinada, muitos trabalhadores apostam em nichos de mercado como alternativa de renda.

Um deles é o marketing multinível, modelo de venda direta que trabalha com a criação de uma rede. No ano passado, ele registrou R$ 40,4 bilhões em negócios, segundo a Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD).

Esse tipo de venda consiste em oferecer produtos ou serviços diretamente ao consumidor, presencialmente ou pela internet. Entre suas vantagens, está o menor número de intermediários entre quem produz e quem consome, com base nos relacionamentos pessoais.

“Funciona como uma rede. Família, amigos e conhecidos tornam-se clientes, tanto para comprar quanto para convidar outras pessoas. Nesse caso, a rede ganha uma comissão em cada venda feita pelos ‘distribuidores independentes’ que consegue recrutar”, explica a analista do Sebrae Minas Andreza Capelo.

Outro ponto positivo desse tipo de negócio é o investimento mínimo na compra de produtos, o que facilita o início das operações. O “distribuidor independente” não precisa investir em infraestrutura, não assume o pagamento de salários dos empregados que participam das tarefas administrativas da empresa e nem arrisca seu capital montando um grande negócio.

Não confunda
Antes de aceitar o convite de uma empresa, pesquise se o negócio é marketing multinível ou um modelo de pirâmide (que é ilegal no Brasil).

Algumas diferenças importantes
O foco da pirâmide é o recrutamento de novos participantes. O marketing multinível visa vender produtos.

Na pirâmide, há casos em que os produtos ou serviços sequer existem ou têm valor muito acima dos similares presentes no mercado.

Em suas reuniões, o treinamento não é voltado para a venda, e sim para o recrutamento.
Além do resultado das vendas, o faturamento individual se baseia no número de pessoas recrutadas para a rede.

Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios

Conheça nossa Empresa, uma Gigante do Varejo brasileiro que atua no Modelo Multinível.

MANUELDOLIVEIRAFILHO

A NOVA ERA DA ECONOMIA

Você deve ter percebido!

Mas não imagina o quão perto estamos!

Você pode não ter sentido na sua rotina, na sua empresa e no seu espaço social por estar acostumado no modelo tradicional e não tem observado está acontecendo e será o futuro.

Para alguns será difícil a aceitação da nova economia em muitos espaços organizacionais, pois ela vem quebrar paradigmas a que fomos educados por muitas e muitas gerações.

Há anos trocamos, melhor vendemos, nossas horas de trabalho por um salário fixo e determinado.

A nova economia não é regida por empregos, não é firmada por salários, entretanto por produtividade e meritocracia.

Para as próximas gerações e em muitos países desenvolvidos este novo modelo de trabalho estará cada vez mais presente no nosso dia a dia.

Os princípios da nova economia estão centrados na capacidade, intensidade e na quantidade de resoluções de problemas, geração oportunidades e conexão entre as pessoas.

A economia colaborativa e criativa entre pessoas e empresas cada vez mais nos levarão a consumir e produzir diferentemente para a construção de um impacto social positivo no mundo.

Fazendo parte desse movimento novas plataformas de projetos inovadores com modelos de negócios da nova economia evoluirão de forma simbiótica através do benefício mútuo entre as pessoas e empresas que promoverão de forma compartilhada e não competidora uma forma democratizadora de acesso ao conhecimento e às oportunidades através de uma nova moeda, o tempo e o valor, recursos não materiais de modo global.

Iniciativas horizontais e de empoderamento estão distribuindo através da confiança entre os pares o conceito de responsabilidade social empresarial difundindo os limites de consumo e produção, facilitando a aproximação e interação na sociedade através do coworking e networking de forma mais justa.

Meu nome é Manuel

Trabalho e desenvolvo na Nova Economia um novo modelo de negócio.

Vamos conhecer!?

 (011) 99241-3934 WhatsApp

 

MANUELDOLIVEIRAFILHO
12