• +(011)992413934
  • contato@missaoempreendedora.net.br

negócios

AUSÊNCIA DA EDUCAÇÃO FINANCEIRA E O ALTO ESTRESSE CAUSADO PELAS DÍVIDAS

O estresse causado pelas dívidas muitas vezes gera impacto tanto na vida profissional como na vida pessoal que pode ser evitado pela prática e conhecimento da educação financeira

Uma pessoa endividada muitas vezes não tem consciência de como a falta de planejamento financeiro e a ausência de uma vida financeira equilibrada poderá influenciar em sua vida.

O primeiro sintoma do excesso de dívida é o alto estresse causado pelas dívidas que, aos poucos, vão se materializando no corpo da pessoa. Segundo pesquisas do Employee Financial Education realizada em dezembro/2011 o alto estresse causado pelas dívidas causa impactos como:   

29% sofreram de ansiedade; 44% relataram fortes dores cabeça; 23% relataram depressão severa; 6% reportaram ataques cardíacos; 27% sofreram problemas digestivos; 51% relataram tensão muscular, como por exemplo, dores lombares.

Nesse contexto, tem-se uma piora do nível da saúde global do empregado, que reflete, por exemplo, no ambiente de trabalho e vida pessoal.

No ambiente de trabalho, um profissional com alto nível de estresse, não consegue se concentrar na execução do seu trabalho e tão pouco relacionar-se de forma cordial com os colegas de trabalho e clientes, gerando assim, o chamado presenteísmo.

Presenteísmo é o nome dado ao profissional que está presente fisicamente no ambiente de trabalho, mas não tem produtividade enquanto absenteísmo é a ausência do empregado no trabalho.

Por outro lado, a somatização das doenças ocasionadas pelo alto estresse causadas por dívida, é responsável pelo absenteísmo do empregado no trabalho e o excessivo gasto com saúde como consultas médica, exames e outros procedimentos necessários decorrentes do estresse.

Na vida pessoal, para o portador do alto índice de estresse por dívidas, muitas vezes, uma simples conversa sobre economizar dinheiro com os seus familiares é o estopim para um desentendimento severo.

Em alguns casos, o grau de endividamento é tão alto que, familiares optam por distanciar-se dos envidados.

Frente a esse cenário, a solução é educar-se financeiramente.

Nas escolas, às crianças, uma gama de conhecimentos é apresentada, porém, raras são as escolas que ensinam como cuidar do dinheiro.

Nesse sentido, erroneamente, muitos, acham que a educação financeira envolve apenas números e a privação das “coisas boas da vida”.

Entretanto, a educação financeira baseia-se em comportamento, ou seja, como as pessoas se comportam em relação ao dinheiro, ou seja, é preciso entender que o dinheiro é um meio de conquista e que uma relação conturbada com ele é o pilar de vários desgastes que prejudicam uma vida saudável.

Se a pessoa opta por uma vida desregrada financeiramente, compras por impulso, consumismo desenfreado, um padrão de vida maior que o seu, logo, estará quebrada financeiramente.

O primeiro passo, para uma vida financeira equilibrada é identificar em qual padrão de vida a pessoa se encaixa e de posse dessa informação, adequar todo o seu consumo.

Note que é adequar o consumo e não se privar dele.

É necessário adotar uma postura de consumo consciente e para isso, antes de adquirir um produto ou serviço, questionar-se:

• Eu realmente preciso desse produto/serviço?
• Estou consumindo porque eu quero ou por que isso vai me dar status?
• Eu consigo adquirir esse produto/serviço à vista ou precisarei me endividar?

Reflita sempre antes de consumir.

Outro ponto importante é descobrir para onde vai o dinheiro, ou seja, por 30 dias recomenda-se anotar todas as despesas, desde o cafezinho até o pagamento do financiamento. De posse desses dados, descobrir-se-á em quais itens há desperdício de dinheiro ou excesso de consumo.

No caso de excesso de consumo, o objetivo não é a privação e sim a diminuição da frequência de consumo da despesa.

Com o orçamento em mãos, o conhecimento e vivência do padrão de vida correto, o caminho para uma vida financeira equilibrada e feliz começará a ser trilhado.

Gostaria de fazer um 2018 diferente, aprendendo fazer o dinheiro trabalhar para você?

Entre em CONTATO  conosco e saiba como.

Leia Também…

MANUELDOLIVEIRAFILHO

POLISHOP REALIZA UMA CONVENÇÃO MEMORÁVEL

POLIEXPO 2017  2a EDIÇÃO

O Brasil nunca viu uma Convenção como a que a Polishop realizou no Expo São Paulo. Batizada de Poli Expo, o evento foi um show de organização, estrutura e impacto.

1. A Polishop criou dois APPs. Um chamado Poli RA, que oferecia a experiência ao empreendedor de ao posicionar o código de barra do crachá-convite, ver o presidente da empresa, João Appolinário, surgir com efeitos tridimensionais em Realidade Aumentada. O outro APP, servia para os empreendedores receberem informações do evento, programação, promoções e comprar produtos;

2. Um dia antes da Convenção, foi realizado, reunião da Diretoria com os Triplos Diamantes acima pela manhã. A tarde a reunião foi com todos os Diamantes e a noite um jantar natalino para Diamantes acima;

3. Toda área externa do evento estava sinalizada para orientar os participantes, a entrarem de taxis, carros, ônibus e a pé;

4. Dentro do evento, foi distribuído um leque sonoro que fazia muito barulho sempre que o Mestre de Cerimônias queria gravar o público e exibir a marca da empresa impressa com diferentes artes nos dois lados;

5. A empresa também distribuiu porta copos com código de barras, para que cada um pudesse fazer o efeito de Realidade Aumentada em si próprios com o novo energético lançado;

6. Os 22 mil empreendedores, ficaram impactados com o segundo maior palco já montado no Brasil e efeitos incríveis nos mais de 20 telões gigantes espalhados pelo palco e evento;

7. A empresa lançou 32 novos produtos, conforme matéria que a Sucesso já divulgou;

8. Foi lançado também o novo Plano de negócios chamado de Opportunitty Com Vc, garantindo ganhos mais imediatos para a base e um plano mais lucrativo para a rede;

9. Como o concurso Miss Brasil pertence a Polishop, nossa Miss brasileira que foi eleita a sexta mulher mais linda do mundo este ano, desfilou no evento e esbanjou beleza e sensualidade com seus surpreendentes 18 anos de idade;

10. A empresa lançou um novo serviço que gera pontuação. A partir de agora os empreendedores podem comprar passagens áreas com excelentes descontos e condições para qualquer lugar do Brasil e do mundo;

11. O evento contou com vários grandes estandes de empresas parceiras da Polishop, como a Philips Walita, Oster, Zurick Seguros, entre outras;

12. Uma mega loja com 1.200 metros quadrados vendia produtos da empresa, lançamentos e a linha Life Style da Polishop.com.vc, com diversos modelos de blusas, camisas, carteiras, agendas, canetas, chaveiros, bolsas, mochilas, casacos, porta cartões, toalhas de praia e diversos produtos, que pontuam de 1 pra 1. Ou seja, Um Real, gera Um ponto.

13. Um mega estande da Be Emotion, era utilizado livremente pelas empreendedoras que podiam degustar todos os cosméticos e perfumes, se maquiar e fazer penteados, sobre olhar atento e acompanhamento de maquiadores e cabelereiros que davam dicas práticas personalizadas. No estande também, profissionais davam aula de maquiagem e dicas de beleza;

14. O Seguro Residencial e de Vida que os empreendedores comercializam, passou a dar direito a um voucher com sorteios de R$ 1.000,00 a cada seguro feito;

15. A cada lançamento, chovia balões que os empreendedores estouravam fazendo um grande barulho no evento em clima de muita festa;

16. A empresa que não possui franquias, e sim 19 Centros de Distribuição próprios, em formato de lojas nas principais capitais brasileiras, defendeu este modelo de negócio e comunicou a abertura do mesmo número para 2018;

17. Mais de 1.400 Rubis novos foram reconhecidos no Palco. (Rubis movimentam entre 20 a 49 mil Reais) por mês;

18. A Polishop comunicou que a Convenção de 2018 do meio do ano, será no Rio de Janeiro, no Rio Centro para mais de 30 ou 40 mil empreendedores, dia 26 e 27 de Maio e a Convenção de Novembro será em SP;

19. Foram entregues mais duas Mercedes Benz no Palco;

20. Ao longo do evento, diversas Super Ofertas eram realizadas, comunicadas e transmitidas ao vivo pelos apresentadores dos comerciais da Polishop;

21. Logo na entrada do principal salão do evento, diversas máquinas que carregam celulares estavam disponíveis sem custo para que todos os empreendedores não ficassem na mão sem bateria. Ao mesmo tempo, a empresa vendia carregadores portáteis ultra finos por preço promocional;

22. Uma Chapelaria estava disponível para as pessoas guardarem seus pertences e compras;

23. Diversos cenários estavam disponíveis para as pessoas fazerem fotos nas gigantografias e nos Back-Drops;

24. O estande da Relax Medic, oferecia em mais de 10 poltronas uma massagem e experiência com as melhores poltronas massageadoras do mundo;

25. A Praça de Alimentação deu conta do recado e os empreendedores tiveram mais de 25 opções. De Spolleto a Hamburguês artesanais;

26. Para delírio dos empreendedores, as viagens foram lançadas. Rubis qualificados irão para Costa do Sauipe. Esmeraldas para Club Med Rio das Pedras no Rio de Janeiro. Diamantes irão para Punta Cana e Triplos Diamantes para África do Sul; (A Polishop foi a primeira empresa a levar líderes para Bahamas, Dubai, Grécia e novamente surpreendeu com a nova viagem);

27. Shows de Dança e Desfiles de moda, fizeram muito sucesso no evento que não teve pausa para almoço, lanche ou jantar. Mas quem estava em qualquer lugar do evento, podia assistir e ouvir tudo;

28. Os Diamantes acima eram recebidos antes da entrada do evento por uma equipe da organização e conduzidos a um enorme longe com estúdio fotográfico, fotógrafos, garçons, mesa de frios, lanches, bebidas. Os Diamantes tinham acesso VIP a área em frente ao palco também, além de prioridade nas filas para compra de produtos;

29. O Presidente da empresa, impactou a todos ao apresentar a pesquisa do Datafolha, que revelou números impressionantes sobre a empresa (Faremos uma nota sobre esta pesquisa);

30. O sistema de Treinamento da empresa passará a ter vídeo-aulas da Universidade Polishop, com o mesmo treinamento que é disponibilizado aos vendedores das lojas;

31. Os cantores sertanejos Bruno e Marrone fizeram um grande show no encerramento do primeiro dia;

32. O maior evento da história da empresa, contou com a diminuição de 30% do valor dos produtos Be Emotion e a promessa do presidente de fazer uma grande mídia para a linha cosmética e para a linha Viva de nutrição para torna-la mais conhecida.

Mega Loja com 1.200m


Mais de 25 mil pessoas na Convenção

 

 

Dezenas de equipamentos para carregar celular

 

 

Estandes no evento

 

 

Maquiagem gratuita todo o evento

 

 

Leia Também…

 

MANUELDOLIVEIRAFILHO

FINANCIAMENTO PARA QUEM NÃO TEM COMO PAGAR KIT DE ADESÃO

O crescimento do segmento de MMN está diretamente atrelado aos seguintes fatores:

1. Cada vez mais empresas aderem ao Multinível;

2. Cada vez mais as pessoas entendem o potencial de ganhos e aderem a empresas;

3. Cada vez mais os empreendedores estão se profissionalizando e obtendo melhores resultados;

4. Cada vez mais empreendedores estão vendendo mais produtos de empresas do trade.

Tudo isso faz o mercado movimentar pessoas e bilhões de reais, todo ano.

Por este motivo, grandes financeiras e bancos, estão atentas ao boom do segmento, nascendo aí uma grande oportunidade das taxas de adesão serem financiadas para quem está sem capital e sem crédito.

Os bancos Bradesco e Itaú tendem a sair na frente. Algumas financeiras e empresas de factoring também estão estudando o mercado. Muitas delas estão em contato com a Abranetwork (Associação Brasileira de Network Marketing) afim de se aprofundarem no entendimento das motivações e fatores de escolha das empresas por parte dos empreendedores.

Existe um programa do Governo Federal, muito pouco divulgado, que subsidia até R$ 1.800,00 em 24 meses, com juros de 0,48% ao mês para quem deseja empreender e não possui crédito.

Se a pessoa tiver com nome sujo, poderá ter um fiador que possua renda superior ao valor solicitado.

O programa é uma lei de incentivo ao empreendedorismo, para quem possui uma micro empresa individual.

Para maiores informações, entre em contato com o Sebrae.

Mas todo cuidado é pouco, porque empresas podem cobrar taxas e juros abusivos. A idéia é ajudar as pessoas a terem uma renda extra ou extraordinária e não já começarem a empreender pagando juros altos e com dívida.

Leia Também…

 

 

MANUELDOLIVEIRAFILHO

POLISHOP PASSA A SER MARCA DE ALTO RENOME NO BRASIL PELO INPI

A Polishop está em festa. O INPI concedeu o título de Marca de Alto Renome pra a empresa.

Somente 68 marcas possuem este título e fazem parte desta categoria.

Uma das grandes vantagens desta inclusão, é que a Polishop não precisará registrar sua marca em algumas categorias, pois ela possui direito de ter registro em todas as categorias existentes do INPI.

Entrar neste seleto grupo não é fácil e sua inclusão se deu pelo fato da marca ser conhecida e respeitada por mais de 90% dos Brasileiros, conforme pesquisa realizada pelo IBOPE.

Outro ponto surpreendente, é que a empresa é a segunda mais jovem (Apenas 18 anos de existência) a conseguir entrar nesta categoria. A empresa mais jovem á nada mais, nada menos que o Facebook, marca internacional. Por isso, a Polishop é a marca brasileira mais jovem a entrar neste seleto grupo.

Conheça as empresas que estão neste seleto grupo:

Fusca

Barbie

PlayStation

Faber-Castell

Toyota

Sonho de Valsa

Petrobras

Bauducco

Vivo

Ferrari

Tigre

Ibope

Coca-Cola

Shell

Dona Benta

Natura

Brahma

Bohemia

Claro

Nike

Volkswagen

Red Bull

Glaxosmithkline

Nivea

Bombril

Viagra

Puma

Dove

Rexona

Adidas

Shell

Nissan

Hollywood

Paçoquita

Rexona

Derby

BIS

Bayer

Jeep

Aspirina

Vigor

Itaú

Garoto

Blindex

Visa

Ford

Google

Ninho

Elma Chips

Credicard

Walmart

Omo

SBT

Land Rover

Caixa

Facebook

Nike

Pernanbucanas

Neosaldina

Consul

Brastemp

Bic

Hellmann’s

O Boticário

Havaianas

Lupo

Pirelli

Tramontina

Fanta

Sprite

Unimed

Votorantim

Volvo

LaCoste

 

Leia Também…

 

MANUELDOLIVEIRAFILHO

10 SINAIS DE QUE VOCÊ NUNCA SERÁ RICO

Ser muito certinho, não investir e trabalhar demais são alguns deles.

Ser milionário é um objetivo na sua vida, preste atenção nos hábitos listados a seguir. São sinais que podem indicar que você está longe de acumular muito dinheiro um dia.

1. Ser muito certinho e não arriscar;

Gostar de desafios e estar aberto a mudanças são pré-requisitos para se tornar milionário. Isso significa que se você recusa uma proposta de assumir uma nova função no trabalho ou de morar no exterior, sem nem avaliar direito, dificilmente sua conta bancária crescerá muito.

“Milionários são pessoas inquietas e questionadoras, se arriscam muito na vida”, aponta o professor Ricardo Rochman, coordenador do mestrado profissional em economia da Escola de Economia de São Paulo, da Fundação Getulio Vargas (FGV/EESP).

2. Não investir no mercado financeiro;

A dica de se arriscar mais também vale para as aplicações no mercado financeiro, que aceleram o processo de enriquecimento. Dificilmente quem tem medo de aplicar em qualquer outro investimento além da poupança será milionário, segundo Rochman, da FGV. “Quem quer ser rico não necessariamente precisa aplicar em ações, mas tem que diversificar os investimentos e ficar ligado no que acontece no mercado”, sugere.

3.Trabalhar demais e viver sem tempo livre;

Boas ideias de como ganhar dinheiro surgem quando as pessoas saem da rotina com frequência. “Quem não tem tempo livre não vai ser rico”, diz Rochman, da FGV. Ele aconselha reservar brechas na agenda para ficar por dentro das inovações pelo mundo e procurar novos modelos de negócio e oportunidades no mercado financeiro.

Nos momentos de ócio, também é preciso observar o que acontece ao redor, já que grandes ideias de negócio surgem quando se percebe como resolver os problemas das pessoas no dia a dia.

4. Odiar o trabalho;

Até dá para não gostar do que se faz e mesmo assim acumular dinheiro, mas qual a graça de ser rico e não ser feliz? Além disso, Rochman, da FGV, lembra que é mais difícil trabalhar durante muito tempo com algo que se odeia, e que acumular dinheiro costuma demorar. “Jovens só enriquecem porque podem se arriscar à vontade, mas ninguém vira milionário da noite para o dia”, diz.

5. Não ter sonhos na vida;

Ricos sonham muito, além de ganhar milhões. “São aqueles objetivos que só de pensar nos causam arrepios”, diz o educador financeiro Silvio Bianchi, da DSOP Educação Financeira. Ele explica que ter dinheiro não deve ser um objetivo, mas um meio para atingi-lo. Assim, enriquecer vira só uma consequência.

Pessoas que têm sonhos agem como empreendedoras, mesmo que não abram um negócio próprio e permaneçam assalariadas.

6. Ser imediatista e querer tudo para ontem;

Pessoas ricas são pessoas prósperas, e a origem da palavra “prosperar” está ligada a ter esperança e a esperar, como explica Bianchi, da DSOP Educação Financeira. “Quem consegue resultados financeiros no futuro sabe aguardar o tempo necessário para comprar”, diz Bianchi. Poupar exige paciência e é essencial para enriquecer. 

7. Economizar demais;

Acredite, economizar em excesso pode ser ruim se você quer ser rico. Pessoas que pechincham demais e que sempre querem economizar ao máximo, às vezes, deixam de viver experiências que podem ser importantes, como uma viagem para um congresso ou um almoço com pessoas diferentes.

“Aquela pessoa que está sempre preocupada em economizar perde oportunidades na vida e tem dificuldades para entender a diferença entre gastar e investir”, diz o orientador financeiro Conrado Navarro, idealizador da Dinheirama.

O professor de finanças Gilberto Braga, do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais do Rio de Janeiro (Ibmec-RJ), concorda. “Quem vai no restaurante e escolhe o prato pelo preço, e não pela comida, dificilmente será rico”, diz Braga. Ele entende que é preciso equilibrar o preço e a satisfação pessoal na hora de fazer escolhas.

8. Pensar só em dinheiro;

Nem sempre o retorno financeiro imediato é o mais importante para se tornar milionário. Ao tomar decisões, quem pensa demais em dinheiro não enriquece. “As pessoas ficam tão preocupadas com o resultado financeiro que deixam oportunidades passar”, diz Navarro, da Dinheirama.

A ideia de abandonar o emprego para abrir o próprio negócio, por exemplo, pode não trazer mais retorno financeiro imediato, somente mais adiante, e nem por isso deixa de valer a pena. “Quando você pensa em excesso, dificilmente você alcança a riqueza”, orienta Navarro.

9. Achar que dinheiro não é importante;

No outro extremo, pessoas que não compreendem que o dinheiro pode transformar a vida também não enriquecem. “Achar que controlar dinheiro é coisa de rico torna as pessoas alienadas, inclusive para aprender como ganhar mais”, explica Navarro, da Dinheirama.

Ele aconselha que para aumentar o patrimônio é essencial fazer do dinheiro um assunto do dia a dia, que não surja apenas em momentos de dificuldade financeira.

10. Relacionar-se apenas com os amigos;

Frequentar ambientes onde os ricos estão pode ser um bom caminho para se tornar um deles, como sugere Braga, do Ibmec-RJ. “Você tem que se comportar como os ricos para desenvolver networking”, aconselha.

É preciso frequentar novos ambientes para criar relacionamentos com pessoas que podem apresentar oportunidades no futuro. “Ter um círculo de amizades além dos seus amigos do peito funciona mais do que mandar currículo”, recomenda. 

 

Leia Também…

 

Fonte: EXAME

MANUELDOLIVEIRAFILHO

JOÃO APPOLINÁRIO E O IMPÉRIO CHAMADO POLISHOP

A Polishop começou com a venda de uma dieta pela TV e se tornou uma gigante do mercado de infocomerciais – com mais de 600 produtos à venda pela TV, web, telefone e até em mais de 200 lojas em shoppings, com planos de abrir uma loja por semana até o fim do ano. Seu idealizador, João Appolinário, entra na linha para explicar o fenômeno.

 

Quem gosta de zapear pelos canais de TV ou passear pelos shopping centers da vida certamente conhece a marca Polishop – a loja que oferece “produtos revolucionários, inovadores”, que se
propõem a facilitar ou transformar sua vida. São equipamentos de ginástica domésticos que fazem você perder dezenas de quilos com pouco esforço, fritadeiras que não usam óleo, grills elétricos que fazem cortes de churrascaria, ferros de passar que não queimam a roupa e por aí vai.
Longe de ser um “1406” – aqueles Infocomerciais de TV na década de 1990 que durante cinco minutos vendiam um produto meio maluco, como meias que não desfiavam ou facas que cortavam até latas de cerveja –, a Polishop conseguiu aperfeiçoar o formato e hoje é um verdadeiro case de marketing brasileiro, que deveria ser estudado por PhDs ao redor do mundo. Fundada em
1991, atualmente a empresa vende 600 produtos, 90% deles exclusivos. Mantém 3 mil funcionários que põem para funcionar desde seu moderno Call Center – que funciona 24 horas por dia, sete dias por semana – até estúdios de TV próprios, onde são produzidos filmes e programas com qualidade digital, alta definição e até em tecnologia 3D. A Polishop é a maior anunciante da TV brasileira, com mais de 150 horas diárias de infocomerciais.

Fora isso, a empresa produz mensalmente mais de 1,5 milhão de revistas que funcionam como um catálogo dos produtos oferecidos, além de manter uma rede com 211 lojas (próprias) e 10 quiosques espalhados pelos principais shopping centers do Brasil. E está em curso a meta de abrir 50 lojas até o fim do ano, ou seja, quase uma por semana. Isso sem falar de uma eficiente estrutura de logística para atender pedidos de qualquer domicílio brasileiro ao alcance das lojas.

No comando desse império está não um grupo e sim um único empresário: João Appolinário, um paulista de 55 anos, falante, simpático, inteligente e muito seguro. Qualidades que o fizeram chegar onde chegou.

O começo

Todo empresário de sucesso tem em sua história um momento em que apostou, tomou uma decisão ousada que mudou totalmente a sua vida. João Appolinário não foge à regra. Sua escola no mundo dos negócios foram as concessionárias de veículos Ford e Honda da família, no ABC paulista. “Lá aprendi, sem me dar conta, o conceito de multicanal. Uma concessionária oferece produtos novos a cada ano, além de acessórios, serviços, oficina, seguros, enfim, atende a diversas demandas dos clientes”, afirma João Appolinário, no começo do bate-papo na sede da empresa, em São Paulo.

Ele poderia ter seguido a carreira nas empresas da família, mas, inquieto, aventurou-se em voos solos. Tentou o ramo de confecção, depois uma rede de fast-food chinesa até que emplacou uma sociedade de sucesso na rede de academias de ginástica Runner. Tudo estava indo bem até que, em 1994, o amigo Gugu da Cruz, genro de Emerson Fittipaldi, convidou João Appolinário para trazer ao Brasil um produto que fazia o maior sucesso nos Estados Unidos: o Seven Day Diet, revolucionária dieta sob a forma de shake criada pelo nutricionista Gary Smith. Fittipaldi topou entrar de sócio, só emprestando sua imagem, sem colocar um tostão. Capital inicial previsto: US$ 1 milhão. João Appolinário enxergou a oportunidade. Vendeu sua participação na Runner para o sócio e entrou no negócio que se transformaria na Polishop. A operação começou em 1999 e, em apenas seis meses, com estratégia maciça de anúncios na TV e em revistas, suportadas por um call center 24h, recuperou o investimento com um lucro tão absurdo que a empresa só tinha um caminho: trazer novos produtos com o mesmo perfil. “Todo bom negócio tem que dar certo no primeiro dia. E o que dá resultado não falta capital para se investir”, diz.

Produtos de sucesso

A receita do “Seven Day Diet” foi emblemática. Os produtos exclusivos que a Polishop vende desde então precisam “agregar valor”, serem absolutamente “revolucionários” e trazerem melhoria para a vida de seus consumidores. Se eles enxergam esses benefícios no produto, dispõem-se a pagar por ele muito mais do que os similares do mercado. Outra característica Polishop são produtos inovadores, muitos deles desenvolvidos por marcas famosas e tradicionais da indústria que enxergam na empresa o canal perfeito para lançarem suas novidades.
Antes de chegar às telas de TV, às lojas e revistas, cada produto Polishop é avaliado em seu potencial de consumo e seus diferenciais. Um comitê da empresa testa vários deles e seleciona alguns que são testados pelo próprio Appolinário, uma vez que são lançados de dois a três novos produtos a cada semana. “Os que emplacam ou mostram aceitação permanecem, os demais são descartados. Mantemos uma média de 600 produtos no nosso portfólio de vendas. A ideia é trazer sempre inovações e novidades para os nossos consumidores”, explica Appolinário.

Ele adora bater na tecla de que seu negócio é lançar tendências, soluções para se viver melhor. Por isso, além da criteriosa escolha dos produtos, ele promove e incentiva que os consumidores os experimentem nas lojas. “As pessoas não sabem se o produto funciona ou não. A gente precisa demonstrar o produto. Muitas vezes elas nem se davam conta de que tinham um problema até que a gente mostra a solução”, explica.

Como explicar que um produto Polishop pode custar até cinco vezes mais que um produto similar? Exemplo? Um ferro de passar Philips/Walita comum custa R$ 265. O modelo da Polishop, R$ 1.200. “O benefício tem valor. Facilitamos em dez vezes no cartão porque o benefício tem de caber no bolso”, explica Appolinário, com outra de suas frases de efeito.

Apesar de mais cara, os números mostram que o consumidor aprova a marca. O Grill George Foreman estreou no Brasil via Polishop em 2004. Dois anos depois, a empresa vendia um milhão de unidades do grill por ano. “Hoje, grill virou uma categoria de produto nas lojas”, comemora Appolinário. Segundo ele, o juicer foi pelo mesmo caminho, com vendas de um milhão de unidades/ano. Mas, atualmente, o campeão é a fritadeira  Air Frier, que dispensa óleo, com vendas de dois milhões de exemplares por ano. O sucesso é tamanho que fabricantes de outras marcas estão produzindo versões. Vai virar categoria.

“A Polishop é uma grande aliada da indústria porque lançamos inovação. Por isso temos parceiros como a Philips Walita. Se a concorrência fabrica uma cópia, e quebra a patente, o problema não é nosso, mas da indústria fabricante”, ressalta.

Nada de franquia

Appolinário é um empresário diferente. Para conseguir gerir o império que criou, trabalha 12 horas por dia. E se arrepia só de ouvir falar em franquias. Segundo ele, o modelo de negócios da
Polishop só é o que é pela integração dos diversos canais geridos de maneira exclusiva. E exemplifica: “Digamos que o cliente viu o produto na TV e se encantou. Pode ligar e comprar na hora. Mas se ele ficou meio indeciso, pode ir ao shopping assistir a uma demonstração e experimentar. Se ele não quiser comprar ali, pode levar a revista para casa e ficar namorando o produto. Até que ele liga para o Call Center para comprar. Ele pode esperar a entrega ou, se desejar, retirar o produto na loja mais próxima.

É tudo integrado. Como é que eu faria isso em um modelo de franquias? Não poderíamos concorrer com os nossos próprios franqueados. Não tenho nada contra as franquias, mas para nós não daria certo”, explica Appolinário. Ele destaca o pioneirismo da Polishop em atender o perfil do cliente moderno. “Somos uma empresa omini channel. Ou seja, atendemos o cliente do jeito que ele quiser, quando ele quiser, a hora que ele quiser, através de todos os pontos de contato: site próprio, loja física, aplicativos para celulares e rede social, call center e representantes de vendas 24 horas por dia sete dias por semana. É o cliente quem decide. O modelo do comerciante linear que fica esperando o cliente entrar na loja está com os dias contados”, defende.

O modelo implantado nas lojas de shopping também merece destaque. O cliente pode experimentar tudo, sentar na cadeira, andar na esteira, frisar o cabelo sem o compromisso de comprar. “Eu quero que o nosso cliente se sinta em casa, num ambiente gostoso. Certa vez, uma cliente entrou na loja e perguntou se podia experimentar a fritadeira Airfryer, que não usa óleo. Ela abriu a bolsa, tirou um saco plástico cheio de camarão temperado e colocou para fritar.

Resultado: comprou duas, uma para ela e outra para a filha fritar camarão sem que a casa ficasse cheirando”, conta, orgulhoso. É por essas e outras que a Polishop também comemora outro feito: tem clientes fiéis. “Depois que eles entendem o nosso conceito e o tipo de produto que oferecemos, eles não vão embora”, comemora João Appolinário.

A combinação entre uma boa carteira de clientes e as vendas de impulso fazem a Polishop crescer dois dígitos por ano, mesmo em anos difíceis. Appolinário considera que seu modelo omini
channel é o que mais se aproxima do consumidor de hoje e do futuro. Em vista disso, a Polishop está lançando um aplicativo para celular para que o cliente possa captar o key code do produto
anunciado na TV ou na revista e comprar pelo celular. “Eu gosto de inovar. Por outro lado, também adoro ficar do lado de fora de uma loja vendo os clientes experimentarem os produtos.
Me sinto feliz porque gosto do que faço”.

 

Leia Também…

MANUELDOLIVEIRAFILHO

CONHEÇA AS PESSOAS QUE NÃO APOIAM OS EMPREENDEDORES

Enquete da Sucesso identificou quem são as pessoas que não apoiam no dia a dia o empreendedor em suas carreiras. Veja o resultado:

40,8%     Família (Mães e Pais)

26, 8%    Amigos

12,7%     Linha Ascendente

11,3%     Patrocinador

8,5%       Esposa ou Marido

Mais do que nunca, é preciso se blindar das influências negativas emitidas. Trabalhar com foco, de forma profissional, para obter o sucesso necessário é fundamental.

O sucesso e os resultados financeiros, mudam completamente essa postura das pessoas próximas.

Quando se ganha dinheiro, as pessoas que não aprovam passam a apoiar ou até mesmo a trabalhar junto ou na rede.

Sua blindagem é fundamental!

 

 

Leia também…

MANUELDOLIVEIRAFILHO

AS 3 PRINCIPAIS VANTAGENS DE TRABALHAR COM MARKETING MULTINÍVEL

O Marketing Multinível é um sistema incrível e oferece muitas vantagens para todos que fazem parte dele.

Diferente do sistema de trabalho convencional, o Marketing Multinível (leia o artigo O que é Marketing Multinível) proporciona muito mais liberdade, retorno financeiro e oportunidade de crescimento e reconhecimento, uma vez que todo o esforço que você realiza na empresa de MMN é reconhecido, transformado em dinheiro e status.

Veja Quais São as 3 Vantagens Principais

Para você entender melhor, vamos analisar esses fatores e ver como se aplicam na prática:

LIBERDADE

Liberdade é algo que todo mundo busca e precisa. Que liberdade é essa? Todas. Liberdade de tempo, de dinheiro, de muitas obrigações, parece até um sonho sendo descrito, mas tenha certeza que é possível ser livre, é possível que você tenha mais tempo para a sua família, seus amigos, para você mesmo, tenha mais liberdade para fazer o que gosta (liberdade financeira), enfim, só precisa encontrar o meio que te levará a alcançar o que deseja.

O Marketing Multinível é o meio mais provável que você tem de realizar tudo isso, pois trabalha para você, no conforto da sua casa, na hora que você pode e com as pessoas que você gosta. Que outra atividade te proporciona isso? Nenhuma.

CRESCIMENTO PESSOAL E RECONHECIMENTO

O tradicional da vida é crescer, estudar, estudar, estudar, arrumar um emprego, estudar mais para conseguir um emprego melhor e trabalhar igual um doido para ganhar 5% de aumento ao final de um ano de trabalho. Não importa todo o lucro que você tenha gerado para empresa. Qual a chance de muita gente conseguir um bom emprego e ser bem sucedido? Pouca. E se a pessoa não tiver bons níveis de estudos e títulos? Quase nenhuma.

Trabalhando de forma profissional com o Marketing Multinível, todas as pessoas que se dedicarem e se empenharem terão sucesso e o reconhecimento que tanto faz bem para a auto-estima e segurança pessoal. Veja bem, eu não disse todas as pessoas que entrarem para o negócio, eu disse todas as pessoas que trabalharem profissionalmente terão o prestígio, reconhecimento e dinheiro que desejam.

Como faz bem para nós sermos reconhecidos pelo bom trabalho que fizemos, como aumenta a motivação e o empenho para continuar. Por isso que as pessoas que trabalham com Marketing Multinível são mais felizes, estão sempre sorrindo e viajando, é o estilo de vida diferente que o sistema oferece.

RETORNO FINANCEIRO

A maioria das pessoas trabalha 44 horas semanais (segunda a sábado) e executa as mesmas tarefas, a mesma rotina e com a mesma ‘’força de vontade’’. Eu queria conhecer algumas pessoas que se levantam na segunda-feira cedinho, se arrumam para ir para o trabalho, tomam café da manhã apressados (isso quando conseguem), pegam um transito horrível para chegar ao local de trabalho, chegando lá tem mil coisas pra fazer, chefe perturbando, colega invejoso querendo seu lugar, cobrança, pressão e outras coisas mais; e chegam ao final do dia sorrindo e comentando com os amigos como o dia foi produtivo e recompensador, como valeu a pena toda essa correria porque o salário é proporcional ao esforço dispensado. Queria conhecer, mas não conheço, talvez uma ou outra.

Vale a Pena Trabalhar com Marketing Multinível

Quando você trabalha com alguma empresa de Marketing Multinível, você acorda tranqüilo, toma café da manhã com a família, lê o jornal, entra no computador para ver seus e-mails e vai fazer seu trabalho. Liga para pessoas que gosta, liga para pessoas indicadas e mostra para elas a oportunidade de negócios. No final do dia, conversa com a equipe, troca informações e compartilha o dia. Muito agradável e sem pressão! É um trabalho com qualidade de vida, além de todas as vantagens que proporciona.

Poderia escrever páginas sobre as vantagens oferecidas pelo sistema de Marketing Multinível, mas acredito que de uma forma resumida você conseguiu entender que a qualidade de vida, o estilo de trabalho, as recompensas, os status e o dinheiro recebido são excepcionalmente maiores e melhores do que as disponíveis no mercado tradicional.

Realmente é um sistema maravilhoso, que oferece oportunidade de mudar de vida para qualquer pessoa e está acessível a todos que desejarem fazer parte desse time empreendedores.

Gostou de tudo isso e quer entrar nesse mercado, venha trabalhar comigo em uma oportunidade fantástica e tenha a chance de obter todas as vantagens já ditas e muito mais. Trabalhe Conosco.

 

MANUELDOLIVEIRAFILHO

POLISHOP PROMETE MUITAS NOVIDADES E MUDANÇAS DO PLANO

Nunca uma convenção da Polishop foi tão esperada por seus empreendedores.

Isso porque, no Brasil esse mercado está cada vez mais competitivo com a adentrara de muitas empresas no seguimento no Marketing de Rede. 

Que a empresa possui uma marca incrível todos sabem. Pelo IBOPE, é a trigésima marca mais valiosa do país.

Que a Polishop possui excelentes produtos, todos sabem. São 1.200 produtos inovadores e exclusivos.

As mudanças serão feitas no plano de bonificação, que paga muito bem para os líderes que estão no topo da carreira e melhorará também para os iniciantes.

A maior reivindicação dos empreendedores, é o fato de que o kit de adesão é padronizado, não permitindo a escolha de produtos. A Polishop estará revendo o kit de adesão e melhorando na revenda do mesmo com margens maiores de lucro.

 A Polishop visa cada vez mais a melhoria do plano de bonificação para o crescimento do negócio e a internacionalização da marca em 2020. 

Mas a empresa promete muitas novidades, tanto que o plano 4.0 será substituído pelo Opportunitty 10.0

Uma grande evolução a vista.

Leia Também…

 

MANUELDOLIVEIRAFILHO

EMPREENDER ESTÁ EM ALTA NO BRASIL

Desemprego recorde gera a maior alta de empreendedorismo da história do Brasil

Se por um lado, a crise econômica brasileira gerou o maior desemprego da história, nunca o Brasil teve tantas pessoas empreendendo. E nunca a demanda por empresas de marketing multinível foi tão alta.

Este momento negativo da economia e está gerando um boom nas empresas de vendas diretas e MMN.

Somente no primeiro trimestre do ano o desemprego aumentou 13,7% conforme dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), por meio da pesquisa Pnad Contínua.

De acordo com o IBGE, essa foi a maior taxa de desocupação da série histórica, iniciada em 2012. Hoje o Brasil possui mais de 14,2 milhões de desempregados, também batendo recorde da série histórica.

Segundo Cimar Azeredo, coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE, “o mercado de trabalho continua a apresentar deterioração. Perdemos mais de 1,8 milhão de postos de trabalho, sendo que cerca de 70% dessa perda foi de empregos com carteira de trabalho assinada”.

Segundo Azeredo, a notícia mais impactante da pesquisa é a perda expressiva de empregos com carteira assinada. “Perder postos de trabalho com carteira significa perda de arrecadação da Previdência, perda de acesso ao seguro-desemprego, perda de garantias trabalhistas. Além disso, a carteira de trabalho serve como garantia de acesso ao crédito. A grande notícia que a Pnad Contínua traz neste primeiro semestre do ano é que o mercado continua destruindo postos de trabalho”.

De acordo com o pesquisador, a queda do número de carteiras assinadas tem relação direta com a conjuntura política e econômica do país. “Um cenário econômico conturbado, um cenário político instável, isso traz desestabilização para o mercado de trabalho e seus efeitos são quase imediatos. Reestruturar postos de trabalho, recompor carteira, isso demora”, afirma.

O rendimento médio está estimado em R$ 2.110 no Brasil. “Há um crescimento do rendimento nominal do trabalhador. Isso mostra que você tem um aumento do poder de compra da população, mas o efeito inflacionário sobre ele fez com que a massa de rendimento se mantivesse estável”, explicou o pesquisador.

Leia também…

 

MANUELDOLIVEIRAFILHO