• +(011)992413934
  • contato@missaoempreendedora.net.br

desemprego

Polishop cria novo evento de premiação para sua base

A Polishop continua focada em formar, apoiar e motivar sua base de empreendedores. A empresa que premia anualmente com uma viagem, os qualificados a Rubis (20.000 pontos); Esmeraldas (80.000 pontos); Diamantes (240.000 pontos); Diamantes Triplos acima: (800.000 pontos) criou uma viagem extra para os novos Rubis.

Vale a pena ressaltar que na Polishop, 1 ponto é igual a R$ 1 Real.

Ou seja, são quatro viagens por ano. Ou melhor, eram. É que para estimular os empreendedores a chegarem a Rubi, a Polishop criou O Rubi Trip Especial, que será a segunda viagem de Rubis do ano.

Na viagem deste ano, os Rubis e seus acompanhante já viajaram para Costa do Sauipe. E em Dezembro, no Rubi Trip Especial, os qualificados irão participar de um evento com acompanhante e jantar de Treinamento com os maiores líderes da empresa.

PROGRAMAÇÃO RUBI TRIP ESPECIAL:

Local: Brasilia/DF
Data: 14 a 16 de dezembro 2018
Qualificação: Pago como NOVO Rubi por 2 meses com 3 novos Kits Gold patrocinados pessoalmente no período (abril a outubro/18)

Dia 14/12 – jantar Black Tie (Os Diamantes Royals e Crowns serão os anfitriões)

Qualificação para o jantar:
Ter 5 cadastros Golds patrocinados pessoalmente E acumular 10.000 VQP (Volume de Qualificação Pesoal) no período de julho a outubro/18 (não valendo a poltrona de massagem)

Ou acumular 20.000 VQP no período (não valendo a poltrona de massagem)

Campanha válida para todos os empreendedores, independentes do PIN.

Dia 15/12 – sábado
Local Brasilia
Treinamento com os Royals (aberto a Elites e acima com convite)

VIAGENS JÁ REALIZADAS:

Rubis: Rio de Janeiro, Nanai, Cruzeiros; Disney; Resort Iberostar (Praia do Forte/BA), Costa do Sauipe

Esmeraldas: Foz do Iguaçu, Puerto Madero, Gramado e Canela, Disney; (Club Med Rio das Pedras este ano)

Diamantes: Las Vegas, Bahamas, Nova York, Los Angeles,  Dubai, Grécia/Mykonos, Turquia, (Este ano Punta Cana)

Diamantes Triplos e acima: Paris. (Este ano Africa do Sul)

Obs: A Polishop é a empresa que mais investe nos serviços e na qualidade de atendimento para impactar seus empreendedores, na opinião de todas as pessoas que já fizeram viagens por outras cias.

Leia Também…

MANUELDOLIVEIRAFILHO

Adube a sua mente com pensamentos positivos

A DETERMINAÇÃO FAZ A DIFERENÇA

Está comprovado. O que diferencia uma pessoa que tem sucesso da outra, é a determinação.

Não é o talento, nem a aparência física, nem a inteligência, é a determinação que faz com que uma pessoa tenha sucesso.

Dra Angela Duckworth, fez um estudo com acadêmicos da Academia West Point, com estudantes, profissionais de diversas áreas, e chegou à conclusão de que a determinação, que é a perseverança em metas de longo prazo e paixão, o grande segredo do êxito.

A meta para ser mobilizadora, precisa ter um significado pessoal, fazer os seus olhos brilharem.

O que não me desafia, não me move, diz o ditado.
Você precisa se sentir desafiado a atingir a sua meta.

Meta Smart, significa que a meta precisa ser específica, mensurável, alcançável, relevante e temporal.

Estabeleça uma meta para sua vida profissional e pessoal.

A meta é o que dá um propósito e sentido para sua vida.

QUAL O SEGREDO DA MOTIVAÇÃO?

Existe uma grande diferença quando uma pessoa está motivada tanto nos estudos como no trabalho.

A motivação é o motivo para a ação.

É o que impulsiona você a fazer o seu melhor.

Ocorre quando você se identifica com o trabalho, com o conteúdo que está estudando.

Quando você percebe um crescimento tanto profissional quanto acadêmico.

Quando você define o porque está fazendo algo.

Você se motiva quando percebe os benefícios que recebe como resultado do seu desempenho.

Quando você visualiza um futuro melhor, possível e desejável.

O forte desejo de atingir uma meta, dará forças para enfrentar o dia a dia de lutas. Mandino escreveu “O fracasso jamais me surpreenderá se a minha decisão de vencer, for suficientemente forte”.

3 TÁTICAS PARA LIDAR COM OS DEMENTADORES

Dentre os personagens criado por J.K. Rowling, na saga “Harry Potter”, um dos mais enigmáticos são os dementadores.

São seres aterrorizantes e que sugam das pessoas a esperança e a felicidade.

Embora os dementadores sejam personagens fictícios, temos os dementadores na vida real.

São as pessoas com energia negativa, vivem reclamando da vida.

Usam a inveja, ciúmes, ódio, sentimentos maldosos, quando você convive com uma pessoa assim, você fica com energia baixa.

O seu limite de paciência se esgota, fica com o “balde cheio”, qualquer coisa é um motivo para você perder a calma e paciência.

O que fazer? Como podemos nos proteger contra esses dementadores?

1. Não discuta, isso é perda de tempo, apenas ouça educadamente, aprenda a engulir “sapos”.

2. Se você identificar que está falando com um dementador, filtre as informações, jogue no lixo uns 99%, tente aproveitar 1% .

3. Recarregue as baterias com pensamentos positivos de otimismo.

ADUBE A SUA MENTE

Nosso cérebro é como um jardim. Às vezes, precisamos adubá-la para que fique sempre fértil e produza muitos frutos e flores.

Podemos adubar nosso cérebro através da leitura de bons livros, revistas, jornais, filmes, vídeos etc.

Através da observação atenta do que acontece no mundo e ao redor de nós.

O cuidado que devemos ter é não deixar o cérebro ocioso.

Talvez, um dos maiores males do nosso século seja a preguiça

Do latim prigritia, a preguiça é uma característica ou atitude de uma pessoa com pouca disposição para trabalhar ou estudar.

A preguiça pode ser associada com negligência, indolência, demora ou lentidão para praticar qualquer ação.

Uma das causas da preguiça é a falta de motivação, que é causada pela falta de propósito na vida.

Estabeleça uma meta, fique motivado, adube a sua mente.

Fonte Revista SUCESSO

 

MANUELDOLIVEIRAFILHO

Polishop faz mega convenção num país em séria crise de transporte

A Polishop surpreendeu mais uma vez na realização de sua Convenção Transformando Vidas, ao produzir um evento primoroso, sofisticado, gigante, com mega estrutura e organização, no auge da crise que o Brasil atravessa.

Com 15 carretas retidas na greve dos caminhoneiros, carregadas de produtos, equipamentos e material de palco, som, luz e vídeo, a empresa criativamente encontrou soluções em três dias, trabalhando 24h por dia, para realizar o evento com o mesmo padrão de excelência de sempre.

Dois Helicópteros carregaram cabos do sistema de som e vídeo. Vários ônibus, lotados de equipamentos para a estrutura do evento, disfarçados de ônibus de passageiros, levaram de São Paulo para o Rio de Janeiro, materiais indispensáveis.

A mega loja que montaram, é a maior loja já montada numa Convenção.

Na impossibilidade de entregar os produtos para os empreendedores levarem na hora, a entrega será feita comodamente para todos que comprarem nos caixas do evento, ou no APP Polishop Express, para aproveitar as dezenas de promoções lançadas.

Para quem chega na Convenção, não dá para perceber que existe uma séria crise de transporte no país. O evento está impecável com cenários bastante interessantes. A entrada para o pavilhão principal, possui um túnel imenso, com a história dos eventos Diamante Experience.

Hoje, sábado, será realizado a final do Concurso Miss Brasil Be Emotion, que pertence a Polishop. Mais de 1.000 municípios de 27 estados participaram do concurso que elegeu as mulheres mais bonitas do Brasil. Uma delas será eleita para concorrer no fim do ano, ao título de Miss Universo.

O evento será transmitido ao vivo pela Band, para todo país, contando com a presença do maior público de um concurso de Miss da história, no mundo.

Emocionante também, as histórias que empreendedores estão contando para conseguirem chegar ao evento. Sem gasolina, álcool, ônibus, aviões e com estradas paradas, os empreendedores estão fazendo o impossível para chegar a Convenção.

E que cheguem, porque o espetáculo começou quinta feira com reunião do Presidente da empresa, João Apolinnário com os Diamantes, seguido de Jantar de confraternização. A Convenção segue até Domingo, com lançamento de produtos, treinamentos, reconhecimentos, premiações e grandes promoções.

Leia Também…

MANUELDOLIVEIRAFILHO

Robô da IBM substitui 34 funcionários de empresa no Japão

Funcionário digital vai executar tarefas repetitivas e poupar dinheiro para seguradora

São Paulo – O IBM Watson, que a empresa define como uma plataforma de computação cognitiva, substituiu 34 funcionários de um escritório de seguros no Japão, de acordo com o jornal local The Mainichi.

Esse robô funciona como um software de análise de dados com inteligência artificial, que ajuda gestores a tomarem decisões, entre outras centenas de funções. Essencialmente, ele “pensa” como um ser humano e consegue interpretar textos, áudios, imagens e vídeos, mesmo que eles não estejam estruturados.

O Watson vai começar a atuar neste mês na Fukoku Mutual Life Insurance Company lendo documentos médicos e determinando pagamentos com base em ferimentos, históricos e procedimentos médicos.

O investimento inicial da operação é de 1,7 milhão de dólares, com manutenção anual de 128 mil dólares. A empresa espera poupar 1,1 milhão de dólares por ano com o uso do IBM Watson. A Fukoku Mutual Life Insurance Company também utiliza a inteligência artificial para analisar ligações para seu call center, identificando a linguagem dos clientes entre positiva e negativa.

O Watson ficou conhecido em 2011, ao vencer humanos em um programa de perguntas e respostas na TV, o Jeopardy. Essa tecnologia da IBM aprende conforme analisa informações e ajuda empresas a reduzir custos e melhorar o atendimento aos clientes.

Um exemplo de atuação no Brasil é no banco Bradesco. O Watson aprendeu o nosso idioma e a companhia ensinou o sistema a responder mais de 50 mil perguntas dos funcionários sobre suas rotinas de trabalho.

O Fórum Econômico Mundial prevê que a inteligência artificial pode eliminar mais de 7 milhões de empregos nas 15 maiores economias nos próximos anos. Enquanto essas plataformas realizam trabalhos repetitivos, humanos podem ter mais tempo livre para executar tarefas que exigem mais “humanidade”.

Diversos aplicativos para smartphones também utilizam o Watson, como o Nutrino, o Record e o MeCasei 

Leia Também…

MANUELDOLIVEIRAFILHO

O que é empreendedorismo?

Os empreendedores são admirados e às vezes invejados. São responsáveis pelo lançamento de produtos e serviços revolucionários, pela criação de empresas seculares e pela geração de empregos. Mas o que é empreendedorismo? O que é ser empreendedor?  Podemos dizer que o empreendedorismo é o motor da economia e ao longo da história foi responsável por grandes mudanças. E o que o empreendedor tem de diferente das outras pessoas? Ele nasce pronto, sendo algo somente para predestinados ou qualquer um pode ser empreendedor? Como ele afeta a economia?

Muitas pessoas têm medo de empreender. Será que realmente é difícil ser empreendedor? Quais são os fatores que influenciam o empreendedorismo?

Imagine que você está participando de um evento – uma festa, um jantar ou um congresso – com a oportunidade de conhecer e conversar com pessoas diversas. E durante aquela conversa básica, que geralmente inclui a pergunta “o que você faz?”, o seu interlocutor responde: “Eu sou empreendedor.”

Qual a primeira imagem que vêm na sua cabeça? Seria a de um empresário bem-sucedido, que começou o seu negócio do zero e hoje é dono de uma fortuna? Ou daqueles vendedores de pipoca que ficam na porta de escolas? Seria um funcionário dedicado de uma empresa ou de um gerente desta mesma empresa? Será que você imaginaria que ele é um funcionário público ou o voluntário de uma ONG?

A maioria das pessoas associa a imagem do empreendedor com a do empresário, como sendo uma pessoa que cria novos negócios, mas a grande verdade é que qualquer uma das pessoas descritas no parágrafo anterior, desde o vendedor de pipoca, passando pelo funcionário de uma empresa e o servidor público, podem sim ser empreendedores. Sendo assim, vamos conhecer os pontos principais que definem um empreendedor. 

O papel do empreendedor

Numa visão mais ampla, o empreendedor é a pessoa que identifica oportunidades, as explora e as desenvolve, seja na criação de um negócio, na construção de uma carreira como empregado ou até mesmo em outras áreas ou outros aspectos da vida.

O empreendedor tem um papel crucial no desenvolvimento da economia e da sociedade como um todo. Aqueles que abrem seu próprio negócio geram empregos e melhoram a distribuição de renda, já os empreendedores que são funcionários, são responsáveis por auxiliar as empresas ou o governo a atingirem seus objetivos. Os empreendedores fazem a história e mudam o mundo em redor deles com as suas ações, criam modelos de negócios novos e inovadores, como, por exemplo, o Google.

Ao longo da história, os empreendedores sempre existiram e foram destaques na sociedade, acumulando grandes fortunas e atraindo a atenção das pessoas. Porém, recentemente, cada vez mais pessoas estão buscando a opção pelo empreendedorismo.

Mesmo com a crise econômica iniciada em 2014, empreender é o desejo de muitos brasileiros. Em uma pesquisa recente sobre empreendedorismo no Brasil, 36% dos entrevistados são donos de seu próprio negócio ou realizaram alguma ação em vistas de ter seu próprio negócio no último ano. Ter um negócio está em quarto lugar entre os sonhos dos brasileiros, atrás de viajar pelo Brasil, ter uma casa própria ou um carro.

Um conjunto de programas e ações estruturais tem colaborado para a difusão do espírito do empreendedorismo no Brasil. Esse processo tem início em 1994 com a estabilização econômica com o Plano Real, passando pelo lançamento do Programa Brasil Empreendedor em 1999, pela Lei Geral da Micro e Pequena Empresa de 2006 e a criação do Micro Empreendedor Individual (MEI) em 2008.

Destaca-se também a participação do SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) na promoção da educação empreendedora e na capacitação e orientação para os pequenos e microempresários por todo país.

Mesmo com todo este suporte, a vida do empreendedor no Brasil não é fácil. Os principais fatores limitantes estão relacionados com a burocracia, a carga tributária e a infraestrutura. A mortalidade das empresas nos dois primeiros anos de vida é elevada, mas tem melhorado nos últimos anos. Esses aspectos resultam na observação que o medo de fracassar é o mais impactante para decidir empreender.

Podemos considerar que o ato de empreender é tão antigo quanto a civilização, por ser um fruto do trabalho humano, seja na busca de oportunidades de crescimento ou como uma alternativa de sobrevivência.  Contudo, a definição de empreendedorismo, e o seu entendimento, evoluiu e continua evoluindo ao longo do tempo. O primeiro registro de uso do termo “empreendedor” é atribuído ao economista de origem franco-irlandesa Richard Cantillon, em 1755, que definiu como sendo um indivíduo que assume riscos. Esta definição diferenciava o empreendedor do capitalista, aquele que fornecia o capital.

A concepção dinâmica do papel do empreendedor é de um agente que cria, reconhece e age nas oportunidades. Isso inclui o uso da inovação para fazer coisas novas, operar com flexibilidade e se adaptar a um contexto mais amplo, trabalhar em condições de risco e incerteza, realizar mudanças e ganhar a recompensa a partir dos lucros. Se o empreendedorismo é visto como um processo, ele consiste de uma pessoa, da busca por oportunidades de mercado, comportamento inovador e da junção dos recursos necessários para explorar essas oportunidades.

E você, gostaria de ser um Empreendedor? Saiba mais como empreender, sem risco, com baixo investimento e retorno garantido, conheça nossa empresa que está a mais de 18 anos no mercado.

 

Leia Também…

MANUELDOLIVEIRAFILHO

Arrocho salarial, como sobreviver ?

 

O reajuste de 1,81% no valor do salário mínimo para o ano de 2018, de R$ 937 para R$ 954, é o menor desde o Plano Real, anunciado em 1994 e que controlou a hiperinflação na economia brasileira, aponta série histórica do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).Isso significa que o reajuste que será aplicado no salário mínimo no ano que vem o menor em 24 anos.

17 reais por mês significam menos de 56 centavos por dia. Por hora trabalhada, o que passa a ser importante desde que se liberou a contratação de trabalhadores “intermitentes”, o reajuste é de 8 centavos.

É a lei, dirão os adeptos do “mercado”.

Verdade, o que não implica deixar de entender que, na prática, isso significa zero.

Ou mais que isso: o  governo vai economizar R$ 3,3 bilhões no ano que vem com a redução de seis reais (nos R$965 previstos no Orçamento Federal) com o zero para os aposentados, dinheiro que vai num instante nas benesses para sacrificar…os aposentados.

Depois, sabe-se que a variação de 1,81% do INPC, usada para sacramentar esta perversidade, está pendurada no mais volátil preço: o dos alimentos, que “segurou” durante 2017 o índice de inflação e que, com seca ou chuva, muda em um instante. E o salário, não.

Arrocho salarial é a consequência de uma política salarial cujos reajustes não acompanham a inflação. Pode ocorrer como política de governo ou decorrente da livre negociação entre empresas e trabalhadores. Pode atingir tanto o salário mínimo de um país como os salários acima dele.

Geralmente os governos podem adotar o arrocho salarial para poder atrair as empresas, por causa da mão-de-obra barata.

Exemplos de governos que possuem ou possuíram arrocho salarial em seu programa são o dos Estados Unidos durante a década de 1920, o governo da ditadura militar brasileira, e no governo José Sarney. A partir do governo FHC, políticas de valorização progressiva do salário mínimo no Brasil foram adotadas por Leis.

Em resumo da “ópera” teremos um período tenebroso para a classe trabalhadora nas próximas décadas em função das transformações mundiais que estão ocorrendo, e consequentemente afetando a geração de emprego. Muitos cargos ou vagas deixarão de existir ou já estão extintas devido a mecanização da mão de obra. O avanço da tecnologia, as políticas trabalhistas estão arrochando os salários cada vez mais. O mundo do futuro vai ser se diferenciar, o empreendedorismo será nova porta de acesso as pessoas para o mercado de trabalho. 

Você já pensou um dia ser dono do seu próprio negócio? Conheça nossa empresa e inicie seu negócio com baixo custo, sem risco e somos a empresa número 1 neste seguimento e estamos em um dos segmentos mais aquecidos do mundo. É totalmente possível viajar, ter qualidade de vida, ganhar ótimos rendimentos e ajudar muitas pessoas.

Para saber mais entre em contato para agendar uma entrevista com um de nossos consultores. Clique AQUI.

 

Leia também…

 

MANUELDOLIVEIRAFILHO

As 20 vantagens comparativas do Marketing Multinível x Sistema Tradicional

O negócio de vendas diretas teve inicio em 1886 com David McConnel, vendedor de livros porta-a-porta nos Estados Unidos.

Ele começou a oferecer um frasco de perfume como brinde para os clientes que compravam os livros que vendia em New York e então nasceu a Califórnia Perfumes que em 1939 teve seu nome mudado para Avon, inspirado na cidade natal de William Shakespeare (livro – “A pequena historia do Marketing Multinível” – Paulo de Tarso Aragão).

Publicidade

Em 1941 o médico, químico e industrial, Dr. Carl Rehnborg lançou nos Estados Unidos uma variante das vendas diretas com vitaminas e minerais a NUTRILITE que funcionava da mesma forma, sem intermediários, mas pagava em vários níveis de profundidade e não apenas para os diretos.

Nascia o MARKETING DE REDE ou MARKETING MULTINIVEL que atualmente movimenta US$ 200 bilhões por ano e tem envolvido mais de 80 milhões de pessoas no mundo todo.

Todo esse crescimento se deve às grandes vantagens que este sistema oferece quando comparado com o mercado tradicional.

Normalmente as pessoas são educadas e preparadas para arrumar um emprego em busca de segurança e passam a vida toda como empregados.Outros são treinados para terem um negócio próprio no mercado tradicional. Nosso trabalho é quebrar esses paradigmas.

Para trazermos pessoas do mercado tradicional para o Marketing de Rede, é necessário mostrar aos candidatos as vantagens comparativas entre um negócio de marketing de rede e um negócio ou emprego no mercado tradicional. Precisamos ter argumentações racionais convincentes para conseguirmos converter essas pessoas.

A maioria dos profissionais de marketing de rede já conhecem essas vantagens, mas os iniciantes e aqueles que estão somente nas vendas diretas ou no mercado tradicional não conhecem e foi pensando nessa necessidade que apresentamos a seguir 20 dessas principais vantagens.

1 – TER SEU PRÓPRIO NEGÓCIO SEM INVESTIMENTOS DE CAPITAL
Normalmente é exigido um baixo valor para começar um negócio de marketing de rede, variando de R$100,00 a R$ 400,00. Esses valores são insignificantes para iniciar um negócio próprio.

Ao contrario para abrir um negócio no mercado tradicional é necessário investir acima de R$ 10.000,00 chegando a franquias de R$100.000,00, R$ 300.000,00 e muito mais. Poucas pessoas têm esse capital inicial para começar um negócio.

Mas as estatísticas indicam que 51 % dos brasileiros gostariam de ter seu próprio negócio e com o marketing de rede é possível se tornar um empreendedor.

2 – SEM RISCOS
Como não existe investimento de capital para começar um negócio de marketing de rede, consequentemente não existe risco de falência.

O risco do negócio são as horas trabalhadas, que poderiam ser usadas em outra atividade.

É um negócio muito viável financeiramente, você pode recuperar seu gasto inicial em poucos dias e o retorno financeiro é muito alto quando comparado com os investimentos realizados.

No mercado tradicional o risco é altíssimo, a concorrência é muito grande e as mudanças tecnológicas e de mercado são muito rápidas. As estatísticas indicam que de cada 10 novos negócios tradicionais 08 fecham em menos de dois anos, por falta de capital e experiência.
Uma empresa normal leva em media de 2 a 4 anos para recuperar o capital investindo.

3 – SEM CUSTOS FIXOS
No marketing de rede não existem custos de aluguel, luz, água, telefone, encargos trabalhistas, empregados, etc. Os custos com material de treinamento, seminários, convenções, aquisição de livros, CDs, DVDs são baixos e devem ser considerados investimentos no negócio.

Esses custos nas empresas tradicionais são altos e muitas vezes apenas o aluguel inviabiliza um negócio, sem contar os custos de mão-de-obra.

4 – SER SEU PRÓPRIO CHEFE OU PATRÃO
Com o marketing de rede Você não tem que dar satisfação a ninguém. Você tem ajuda e orientação da sua linha ascendente. Você é seu próprio patrão. Você decide. Você é dono do seu destino.

Como empregado você tem vários chefes que o pressionam o tempo todo e seu futuro está nas mãos deles. Seu crescimento muitas vezes não depende somente do seu trabalho e a concorrência para conseguir promoções é grande e às vezes predatória. Pode depender também de quem indica, o famoso QI.

5 – TER SEU TEMPO LIVRE
Você pode acordar na hora que quiser, trabalhar o dia que quiser e no horário mais conveniente e quantas horas achar necessário por dia. Pode viajar quando quiser. Você não precisa sair nas horas de pico com a massa e ficar retido em grandes congestionamentos em véspera de feriado ou na hora do rush.

Como empregado você tem que trabalhar no mínimo 08 horas por dia mais o tempo gasto para chegar e voltar do local de trabalho e em horários definidos pela empresa. Você não tem o direito de escolher a data das suas férias e são definidas de acordo com a conveniência do seu patrão.

O dono de um comércio ou de uma empresa tem abrir e fechar todos os dias no horário comercial e muitas vezes não tem condições nem de tirar férias. A liberdade de tempo não tem preço.

6 – POTENCIAL DE GANHOS ILIMITADOS
No marketing de rede você pode fazer uma meta de quanto e quando atingir seus ganhos e alcança-los com seu trabalho pessoal e da equipe.Vai depender da sua dedicação. Esses ganhos são ilimitados.Quanto você deseja ganhar? Qual é o seu sonho?

Como empregado você tem que aceitar um salário e trabalhar duro para conseguir aumentos. Sempre vai existir um limite de ganhos, mesmo que você seja o presidente da empresa.

Uma franquia ou outro negocio tradicional também têm um limite de ganhos e para aumenta-los é necessário investimentos adicionais, contratação de mão de obra, et.

7– PODER MONTAR ESSE NEGÓCIO MESMO TENDO UM EMPREGO OU NEGÓCIO TRADICIONAL
O marketing de rede pode ser um plano B, você diversifica sua renda trabalhando algumas horas por dia e ainda pode manter seu emprego ou outro negócio.

Atualmente é recomendável e prudente ter mais de uma fonte de renda. Nunca se sabe o que vai acontecer com seu emprego ou negócio tradicional. Em épocas de recessão os empregos desaparecem junto com as empresas.Nenhuma empresa pode garantir seu emprego.

Hoje vivemos num mundo de fusões de empresas ou as maiores compram as menores e milhares são demitidos.

O que ocorre na maioria das vezes é que o profissional de marketing de rede com o passar do tempo transforma seu plano B em plano A, ou seja, chega um momento que é mais viável dedicar mais tempo ao marketing de rede e abandonar sua atividade no mercado tradicional.

8 – PODER TRABALHAR EM OUTRO PAÍS, ESTADO, CIDADE, BAIRRO
No marketing de rede você pode trabalhar aonde quiser, na cidade de sua preferência com um melhor estilo de vida ou maior potencial para o negócio.

Como empregado você tem um local fixo de trabalho , que na maioria das vezes fica longe da sua casa, sujeitos a transito ou horas de transportes estressantes para chegar pontualmente.

Muitas vezes o empregado é transferido para outro local indesejado, longe da família e não tem como recusar.

9 – PODER TRABALHAR EM CASA
Esse é um grande desejo da maioria das pessoas. Essa é uma das grandes vantagens desse negócio. Sua casa pode ser o seu local de trabalho, usando a internet ou fazendo reuniões presenciais em casa ou outros locais.

Você não precisa ter um escritório. Você reduz custos e ganha tempo. A comodidade de não ter que sair de casa, poder fazer as refeições em casa e ficar junto com a família não tem preço.

10 – SEM PRÉ-REQUISITOS DE INSTRUÇÃO
Pessoas dos mais diversos níveis de educação e até sem instrução tem sucesso no marketing de rede.

Os exemplos estão em todos os lugares e empresas. Não é preciso ter nível superior, falar inglês, operar um computador, etc..É um dos negócios mais democráticos que existem, todos que quiserem podem fazer. É um negócio de relacionamentos.

Para conseguir um bom emprego é necessário ter uma boa escolaridade,nível superior, muitas vezes falar inglês, saber computação, especialização, ter indicação, etc.A competição é altíssima.

Para ter um negócio no mercado tradicional é necessário ter um nível de instrução razoável para administrar o negócio.

11 – SEM LIMITE DE IDADE
É preciso ter no mínimo 18 anos para começar o negócio, mas é possível começar um negócio de marketing de rede acima de 50, 60 ,70 anos de idade.

No mercado tradicional quando você atinge 40 anos já é considerado velho e trocado por um candidato mais jovem. Torna-se muito difícil concorrer no mercado com excesso de oferta de mão de obra para se conseguir um bom emprego.

Por outro lado,com essa idade as pessoas já estão amadurecidas, muitas vezes já se frustraram com os empregos e por ter mais relacionamentos podem ter um grande potencial de sucesso no marketing de rede.

12 – NÃO EXIGE EXPERIENCIA EM NEGÓCIOS
No marketing de rede as pessoas são ensinadas e treinadas para desenvolver o negócio e aprenderem para ensinar e duplicar.

O marketing de rede é uma escola que ensina as pessoas a liderarem mais e chefiarem menos e consequentemente terem sucesso no negócio e até no mercado tradicional.

Muitos empresários do mercado tradicional aprendem com o marketing de rede a compartilhar melhor os resultados e conseguem maior comprometimento dos seus empregados.

A maioria dos empregos exigem experiência anterior. Para montar um negócio no mercado tradicional é muito importante ter experiência no negócio, para reduzir o risco de fracasso.

13 – É UM NEGÓCIO LEGAL, MORAL E ÉTICO
É aprovado pelas leis, não é pirâmide ou corrente. Na década de 60 nos Estados Unidos as empresas de marketing de rede foram acusadas de serem pirâmides disfarçadas.

Foram muitos processos e acusações nos tribunais até que em 1979 a Suprema Corte Americana deu o parecer favorável ao marketing de rede. É preciso ter muito critério para escolher uma empresa parceira.

Mas o sistema é justo e paga-se mais a quem trabalha mais. Obedece às legislações dos países, recolhendo impostos e taxas, etc .É um negócio justo.

14 – O NEGÓCIO É HEREDITÁVEL
As aposentadorias do INSS não são hereditáveis e acaba na mesma geração. Não se pode acreditar nos fundos de pensão e outros tipos de aposentadorias.

No marketing de rede você cria uma renda residual, recebe royalties (como compositores, escritores, etc.). Você ganha hoje e no futuro pelo trabalho que faz hoje.Você constrói um negócio que é transferido de pai para filhos, netos ou outras pessoas nomeadas, que vão assumir sua posição na rede.

É um negócio familiar que vai dar tranquilidade para suas futuras gerações.É imprescindível que sua empresa parceira exista no longo prazo.Essa é uma das grandes vantagens comparativas desse negócio.

15 – RECONHECIMENTOS
No mercado tradicional normalmente não existe reconhecimentos ao seu sucesso e ao contrário muita competição para obter os melhores cargos.

No marketing de rede as pessoas de sucesso são reconhecidas no palco, edificadas, aplaudidas e copiadas. Há um grande reconhecimento ao seu sucesso. É o jogo do “ganha ganha”, todos se ajudam, todos ganham e participam do sucesso.

Existe uma grande torcida pelo seu sucesso. Muitas viagens maravilhosas são oferecidas como reconhecimento ao seu desempenho.

No mercado tradicional normalmente não existe esse tipo de reconhecimento e ao contrário muita competição para obter os melhores cargos.

16 – TER AJUDA DE PESSOAS ESPECIALIZADAS
Você terá ajuda e orientação gratuita da sua linha ascendente, pessoas especializadas, professores que vão lhe ensinar tudo o que sabem , visando seu crescimento. Se você não crescer elas também não crescem.

Essas pessoas vão ensinar “o caminho das pedras”, orientando o que deve ser feito e o que não deve ser feito para ter sucesso. É uma consultoria diária. Você vai escolher um mentor para seguir, um guia no negócio. .

17 – AJUDAR OUTRAS PESSOAS
No marketing de rede você vai oferecer uma oportunidade de negócios que pode mudar a vida das pessoas. Você vai ter a chance de ajudar um número ilimitado de pessoas. Você não tem como oferecer um emprego a alguém, mas tem como oferecer um trabalho, um negócio próprio.

É muito gratificante ajudar as pessoas a terem sucesso. Ajudar as pessoas a realizarem seus sonhos. Ajude algumas pessoas a conseguirem o que elas querem que você vai conseguir o que quiser – Zig Ziglar. Você amplia e multiplica suas amizades.

18 – É UMA TENDÊNCIA DO FUTURO
O marketing de rede já é uma grande realidade e ao mesmo tempo uma das grandes tendências do futuro porque a maioria ainda não o conhece. Já produziu uma grande quantidade de milionários.

Os empreendedores estão a procura de oportunidades. Existem milhares de empresas de marketing de rede e todo dia surgem novas empresas no mercado. É um negócio inteligente e que tem crescido muito com a internet como ferramenta de treinamentos e relacionamentos.

É como uma onda, ela vem e você ou vai com ela ou ela passa e você fica. Se você trabalhar sério você faz parte da tendência, porque ela vai acontecer com você ou sem você. Então é melhor acontecer com você. O tempo vai passar de qualquer forma.

19 – TER RECOMPENSA E PODER USUFRUI-LA
Não vale a pena ter um ótimo salário ou um bom negócio e ser escravo, não poder usufruir das coisas boas da vida.

No mercado tradicional na maioria das vezes a pessoa que chega a diretor ou presidente de uma empresa, tem um ótimo ganho, mas não tem tempo para curtir os filhos, viajar com a família, fica escravizada pelo tempo.

No marketing de rede você pode ter ótimos resultados financeiros e ter um estilo de vida ideal, ter tempo livre para usufruir com sua família. Nenhum outro negocio te dá tanta recompensa e lazer como o marketing de rede.

20 – SEGUIR UM SISTEMA DE SUCESSO
O marketing de rede já foi inventado, não é preciso inventar mais nada, é só seguir um sistema vitorioso que pode ser comparado a uma franquia pessoal, é só duplicar. Existem dezenas de livros sobre marketing de rede escrito por líderes de sucesso, pessoas que ficaram milionárias e nos ensinam como fazer o negócio.

O que nós temos que fazer é seguir um sistema de treinamento que leva ao sucesso, onde todos duplicam o que aprendem. É você, a empresa fornecedora dos produtos ou serviços e o sistema de treinamento, um tripé para o sucesso.

Poderíamos mencionar outras vantagens do marketing de rede em relação ao mercado tradicional e poucas são as suas desvantagens.

Mas, apenas mostrando essas 20 vantagens teremos argumentos mais do que suficientes para provar de forma racional que o marketing de rede é um dos melhores negócios do mundo.

Não é para todos e a maioria não vai entrar, mas todos que quiserem podem mudar suas vidas fazendo esse negócio.

É a grande saída para o crescente número de pessoas empreendedoras a procura de uma boa oportunidade de negócios no Brasil.

Wanderley Lourenço:

É um dos maiores líderes do país. Por 15 anos foi o maior Diamante da Natures Sunshine, a maior empresa de MMN de produtos fitoterápicos do mundo e também era dono do centro de distribuição que mais vendia no Pais.

É economista, Palestrante e lider treinador da Amway.

 

Fonte: Revista Sucesso

 

Leia Também…

MANUELDOLIVEIRAFILHO

Os desafios e a liberdade de ser seu próprio chefe

Todos os dias, a maior parte de nós é obrigada a prestar contas a alguém superior no ambiente de trabalho sobre os horários em que chegamos e saímos da empresa, sobre as tarefas pelas quais somos responsáveis e sobre os resultados que estamos atingindo. Esse tipo de pressão é intenso e tem levado cada vez mais pessoas a mergulhar no empreendedorismo e ser chefes de si mesmas.

De fato, a ideia de ser dono do próprio destino, controlar os próprios horários e tomar decisões por conta própria é bastante libertadora e oferece autonomia para trilhar seus caminhos. Contudo, como diz a música de Renato Russo “disciplina é liberdade”, ou seja, é preciso muita responsabilidade para garantir a assertividade das decisões a serem tomadas.

Ideias e oportunidades

Deixar o velho emprego e abrir um negócio próprio ou identificar uma possibilidade de investimentos interessante requer muita pesquisa. Antes de tomar qualquer decisão e agir, é fundamental identificar oportunidades de lucrar. Esse é o momento de correr riscos calculados e de mostrar a ousadia e a coragem de empreender. Buscar inspiração nas pessoas de sucesso é uma boa ideia, mas lembre-se de dar seus próprios passos rumo ao sucesso.

Capacitação

Sem conhecimento não há projeto que se sustente. Um currículo, por rico que seja, nunca deve ter um ponto final. O dinamismo do mercado e da vida contemporânea como um todo exige que os empreendedores façam reciclagens constantes que lhes ampliem os horizontes e ofereçam novas ideias. Palestras, cursos e especializações são mecanismos de manter abastecida essa incrível fonte de ideias chamada conhecimento. Ser chefe de si mesmo requer que estejamos sempre munidos de soluções criativas e pensamento estratégico.

Comunicação e liderança

Há uma frase famosa em Inglês que diz que “No man is an island”, cuja tradução seria “nenhum homem é uma ilha”, ou seja, ninguém é autossuficiente e não é possível viver no isolamento. Todos dependemos, em maior ou menor grau, de outras pessoas. Mesmo quem quer ser empreendedor precisa de boas habilidades comunicacionais para se relacionar com parceiros, colaboradores, clientes e para gerir equipes. Clareza, ética e objetividade são pré-requisitos para o sucesso.

Planejamento, execução e reflexão

Em qualquer área de atuação, é preciso fazer um planejamento estratégicoantes de tomar qualquer decisão. Isso requer a organização das finanças a serem investidas, do marketing, das forças de vendas e da tecnologia envolvida. Por isso, é preciso levantar e disponibilizar todos os recursos necessários para empreender. Depois, é hora de pôr os planos todos em prática, sempre atribuindo um prazo para cada etapa.

Depois de implementadas as ações, não se deve pensar que o processo chegou ao fim. É hora de avaliar se os objetivos foram alcançados e, se não o foram, investigar os porquês. Sempre há algo a ser melhorado. Não é do perfil de um empreendedor crer que tudo está perfeito. Crescer e progredir são os verbos que norteiam as ações das pessoas de sucesso, e isso só é possível por meio da ação e da reflexão sobre aquilo que foi feito.

Leia Mais…

MANUELDOLIVEIRAFILHO

Aprenda a lidar com o dinheiro, a investir e a multiplicar seus ganhos

Mas não basta ler. É preciso colocar em prática. Então, comece agora:

1. Guarde 10% de tudo que ganhar para investir

Existe um ponto de vista defendido por muitos bilionários e pessoas bem sucedidas financeiramente, que é o seguinte: “pague a si próprio primeiro”.

Antes que alguém use a frase como desculpa para dar calote nos outros, é bom explicar melhor.

A ideia é que você separe pelo menos 10% do que ganha imediatamente, antes mesmo de olhar para as contas ou itens de lazer. Entrou R$ 100,00? Separe R$ 10,00 agora mesmo para investir! Simples assim.

Essa atitude, além de garantir a construção de patrimônio, cria um hábito financeiro muito saudável. E não pense que você vai morrer de fome por separar 10% do dinheiro que ganha.

Muito pelo contrário: às vezes, começar o mês um pouco mais apertado obriga você a ser criativo, seja na hora de poupar ou na hora de criar oportunidades que gerem novas receitas.

Antes de passarmos ao próximo item, uma ressalva: esse dinheiro deve ser investido, e não simplesmente “separado”. É importante que você faça esse valor render.

Para isso vale a pena estudar as diferentes possibilidades do mercado, desde renda fixa até bolsa de valores, e escolher o investimento que se adequar melhor ao seu perfil.

Obs.: Falamos mais sobre investimentos no item 5.

2. Reinvista todo rendimento de seus investimentos

Sabe aqueles 10% que acabamos de falar no item anterior? Se você achou que no futuro eles serviriam para torrar em viagens, carros ou qualquer item que seja seu sonho de consumo, está enganado. Todo o rendimento deve ser reinvestido.

Aí você pode pensar: mas de que adianta ter dinheiro se eu não vou usá-lo?

A ideia é que você construa patrimônio, e não apenas poupe uma quantia todo mês. O seu patrimônio é a sua real riqueza, o resto é ilusão. De nada adianta ter um salário ou lucro gigantesco na sua empresa se no final do ano você não tiver guardado nada.

Pessoas de mentalidade rica estão sempre buscando alternativas para enriquecer seu patrimônio, de forma que possam viver de rendimentos no futuro. Se você tiver disciplina para investir e reinvestir o seu dinheiro, daqui a alguns anos não precisará se preocupar com questões como a previdência social, que não necessariamente é uma alternativa segura para a aposentadoria.

3. Nunca gaste mais do que ganha

Essa é uma dica óbvia, certo? Bom, nem tanto. A maioria das pessoas sabe que não deve gastar mais do que ganha, mas ainda assim continua cometendo o mesmo erro repetidas vezes.

As desculpas e justificativas para repetir o equívoco são as mais variadas, mas a verdade é uma só: mais cedo ou mais tarde, é preciso encarar a realidade.

Endividar-se no cartão de crédito mês após mês só faz com que você empurre o problema com a barriga. Pode até ser que você ainda não esteja numa situação desesperadora em termos de finanças, mas esse comportamento simplesmente tira sua liberdade de escolha, já que você vive “correndo atrás do rabo” ou, nesse caso, do próximo fim de mês.

Pense com carinho: e se você quiser investir em uma nova ideia de negócio? E se surgir um imprevisto com a casa ou o carro? E, pior, se você tiver gastos médicos inesperados? Ninguém gosta de desejar situações ruins, mas é bom ter um plano B caso algo aconteça.

No fim das contas, as únicas despesas realmente necessárias são moradia, alimentação e transporte. E tudo que foge disso pode ser planejado com cuidado para caber no orçamento, sem precisar se endividar.

Leia também: 7 passos para sair das dívidas e se tornar um empreendedor

4. Fuja dos financiamentos com parcelas pequenas e juros altos

Quando desejamos um bem de consumo, muitas vezes somos atraídos por financiamentos com parcelas bem baixas. Porém, é bom abrir o olho. Na grande maioria das vezes, parcelas pequenas representam juros altos.

Basta nos colocarmos no lugar da empresa que está vendendo o produto ou serviço: eles precisam lucrar e o financiamento nada mais é do que um empréstimo. Ou seja, precisa ser vantajoso também para quem empresta, senão a negociação não faz sentido. Portanto, fique atento! De maneira geral, quanto menos tempo você levar para quitar um financiamento, menos juros pagará. Sem falar que isso permitirá administrar melhor seu dinheiro.

Mesmo que o financiamento seja curto, pense bem antes de parcelar uma compra ou pegar um empréstimo: estas devem ser sempre a última alternativa. O bom e velho pagamento à vista continua sendo a melhor opção, ainda mais para quem costuma ter dificuldades em organizar as contas.

5. Pesquise sobre títulos públicos, fundos de investimentos ou ações

Se você seguir à risca a recomendação da primeira dica e guardar 10% de todo o dinheiro que ganhar, em breve terá uma boa quantia para investir. Nesse caso, é bom começar a pesquisar desde já por formas de aplicar o dinheiro.

Para facilitar, separamos algumas informações iniciais que podem te ajudar:

Títulos públicos

Os títulos públicos do Tesouro Nacional fazem parte do mercado de renda fixa. São uma das formas que o governo federal utiliza para captar recursos que servirão para financiar suas atividades, entre elas educação, saúde e infraestrutura.

Além de apresentarem um rendimento superior à poupança, outra grande vantagem é que é possível investir em títulos que pagam sempre acima da inflação. Dessa forma seu dinheiro nunca será desvalorizado.

Fundos de investimentos

Um fundo de investimento é uma modalidade de aplicação financeira. Cada fundo é formado pela união de diversos investidores (cotistas) que se juntam com o objetivo de investir em uma série de ativos, podendo englobar títulos de renda fixa, commodities, títulos cambiais, ações, entre outros. De modo geral, quanto mais diversificado for o fundo, menor é o risco que você estará correndo.

Ações

As ações, também chamadas de papéis, são cotas (pequenas frações) de uma empresa negociadas em bolsa de valores. O dinheiro investido em ações representa o patrimônio na empresa e é usado para compra de equipamentos e matérias-primas, pagamento de funcionários, investimentos, etc.

Ou seja, ao comprar uma ação você se torna sócio da empresa que emitiu a ação. Isso significa que você correrá os riscos dos negócios, tendo participação tanto nos lucros como nos prejuízos da organização. O preço dos papéis é definido pela oferta e demanda: quanto mais gente existir querendo comprar ações de uma corporação, mais o preço sobe. Assim, é possível vender e lucrar com os papéis.

Para saber mais sobre como investir na bolsa de valores:

6. Não compre casa na praia, nem carro de luxo

Infelizmente, esse itens só trazem despesas e tiram dinheiro do seu bolso bem mais rápido do que você espera. O sonho da casa da praia, por exemplo, muitas vezes se transforma em pesadelo: são muitas manutenções necessárias e pouco retorno.

A maioria das pessoas acaba aproveitando só no verão, porém não consegue alugar a residência na baixa temporada. O resultado é uma série de gastos, incluindo o IPTU, as contas mensais e medidas para manter o imóvel em boas condições.

O mesmo ocorre quando você troca seu carro atual por um veículo de valor mais alto. O preço do seguro vai lá no alto, a manutenção e as peças são mais caras e muitas vezes o consumo de combustível também.

Isso sem falar nos custos extras que você pode ter para garantir a segurança — sua e do veículo —, incluindo deixar o carro sempre em um estacionamento fechado.

7. Evite emprestar dinheiro para parentes e amigos

É claro que tudo depende da situação e do amigo. O problema é que, em geral, amigos e parentes têm mais liberdade e intimidade com a gente, o que nem sempre é bom quando o assunto é dinheiro.

A pessoa acaba não se sentindo constrangida por ficar devendo ou por atrasar o pagamento. O tempo passa e muitas vezes o empréstimo cai no esquecimento. Então não custa tomar um pouco de cuidado para não passar por esse tipo de problema, certo?

8. Cuidado com o cartão de crédito

Sem dúvida nenhuma, o cartão de crédito é um dos maiores vilões da vida financeira das pessoas. Portanto, se você quiser administrar seu dinheiro com eficiência, é preciso tomar cuidado com ele.

O que muitos não percebem é que quando se faz uma compra com cartão de crédito, está na verdade gerando uma dívida para ser paga depois. No caso das compras parceladas, é uma dívida que vai durar muito!

Isso é perigoso por dois motivos, o primeiro deles é porque no final das contas você estará somente postergando um pagamento que deveria ser feito no momento da compra, perdendo o controle e foco do seu orçamento, pois isso estimula outros gastos a curto prazo.

O segundo motivo é que a chance de comprometer a sua renda nos próximos meses é alta e isso pode prejudicar os seus gastos futuros que são essenciais, colocando a sua situação em um cenário que precisará retirar dinheiro das suas reservas ou contrair uma dívida com juros no próprio cartão.

Lembre-se que os juros do cartão de crédito são um dos mais altos atualmente, então a prioridade deverá ser fugir deles.

9. Fuja das compras supérfluas

Muitas pessoas têm a mania de comprar aquilo que não estejam precisando e o resultado são as compras que são desnecessárias e que comprometem o orçamento do mês.

Portanto, antes de comprar qualquer coisa, faça uma reflexão se você precisa mesmo daquilo, se é algo essencial e se não há uma alternativa para suprir essa compra com algo que você já tenha.

Sabemos que muitas vezes não é fácil resistir a essa tentação de comprar coisas novas, mas nesse momento é preciso pensar nos seus objetivos financeiros que é algo muito maior. Sendo assim, será muito mais possível conseguir realizar seus sonhos.

10. Tenha objetivos financeiros

Uma das maneiras mais naturais de manter o controle e administrar seu dinheiro de forma correta é colocar um objetivo maior como algo que deve ser alcançado. Dessa maneira você condicionará sua mente de que todo o esforço valerá a pena.

Então, nada mais sábio do que transformar seus sonhos nesses objetivos. Por exemplo, que tal colocar como objetivo trocar de carro, comprar um apartamento ou então fazer aquela viagem dos sonhos?

Sendo assim, as chances do seu planejamento dar certo é muito maior, além de que quando você abrir mão de algum gasto desnecessário, será algo muito mais prazeroso, pois você saberá que é por um bom motivo.

11. Transforme um gasto variável em fixo

Outro grande vilão da nossa vida financeira são os gastos variáveis, ou seja, aqueles que não foram estabelecidos um limite. Por exemplo, a cervejinha com os amigos, o almoço de sexta com os colegas de escritório em um restaurante mais caro e por aí vai.

O grande problema desse tipo de despesa é que nunca se sabe o seu valor exato no fim do mês e há casos em que elas ultrapassam qualquer limite que se possa imaginar, porque não há controle e nem ideia do quanto é um valor ideal para não comprometer o seu orçamento.

Por isso, transforme esses gastos em algo fixo e faça o controle dessa despesa. Por exemplo, se você definir que vai gastar no máximo R$200 por mês com as idas a bares e restaurantes, você precisará monitorar o andamento dessa despesa e abrir mão de convites quando esse tipo de gasto atingir o valor que foi estabelecido.

12. Evite andar com muito dinheiro no bolso

Saiba que andar com o dinheiro em espécie é uma grande tentação, pois isso facilita o impulso de gastar que qualquer ser humano possui, incluindo comprar coisas que não são necessárias.

Portanto, o ideal é andar apenas com o dinheiro suficiente para suas despesas básicas do dia a dia na carteira, tal como para as refeições, transporte e eventuais emergências.

Essa é uma boa estratégia para evitar gastos desnecessários e administrar seu dinheiro com sabedoria.

13. Cuidado com a “contabilidade mental”
Uma das maiores armadilhas financeiras é a chamada “contabilidade mental”. Na verdade, é uma falha lógica onde a pessoa mantém, simultaneamente, dinheiro investido (a taxas baixas) e dívidas (a taxas altas), e se sente confortável por ter “dinheiro guardado”, quando deveria usar esse investimento para saldar as dívidas. Esse hábito dá uma falsa sensação de conforto e segurança, mas nos faz perder ainda mais dinheiro

14. Investimentos: expectativas realistas
A realidade do mercado financeiro brasileiro está mudando, ficando mais próxima daquilo que se pratica nas economias desenvolvidas. A má notícia é que ganhar dinheiro no mercado financeiro das economias desenvolvidas não é nada fácil, e o investidor brasileiro deve se preparar para um cenário onde os retornos vão diminuir e a volatilidade aumentar. E lembrar que a prioridade máxima do investidor não é rentabilizar seu dinheiro, e, sim, protegê-lo. No longo prazo, muitos investidores sequer conseguem proteger seu patrimônio dos efeitos da inflação

15 Riscos são reais
Como dizem muito fora do Brasil, “não há almoço grátis”. Investimentos com alto potencial de retorno também têm alto potencial de risco. Não existe algo que tenha altos retornos e seja totalmente seguro. Quem não quer viver “fortes emoções” com o dinheiro deve se abster de investimentos mais ousados e ficar com o básico

16. Cuidado com os mitos
Nosso povo não prima muito pela educação financeira e pelas boas práticas na gestão do dinheiro. “Seguir a sabedoria popular” na hora de tomar decisões financeiras raramente é algo sensato. As pessoas têm uma visão bastante limitada de como funcionam os investimentos e os instrumentos de crédito, e alimentam certos “mitos”, como uma crença na infalibilidade de caderneta de poupança ou a de que a Bolsa de Valores é uma espécie de “cassino”. Não seja “maria vai com as outras”: estude, informe-se e tome suas próprias decisões

17. Pense em ganhar
Quando se fala em finanças pessoais, normalmente se fala em práticas para gerenciar o dinheiro ou investimentos convencionais, com retornos limitados (é a realidade do mercado financeiro para a maioria das pessoas). Mas é importante lembrar que tão importante quanto cuidar bem do dinheiro é pensar em como ganhá-lo. É preciso estar constantemente “de olho” em oportunidades de negócios e de desenvolvimento profissional. Ganhar dinheiro investindo no mercado financeiro tende a ficar cada vez mais difícil, e quem quer subir o padrão de vida ou dar um “grande salto” precisa investir em desenvolvimento profissional e de negócios

18. “Só trabalho gera riqueza”: o seu e o do seu dinheiro
A frase entre aspas é atribuída a Amador Aguiar, fundador do Bradesco, que tinha fama de trabalhador incansável. Muitos esperam de “gurus financeiros” uma fórmula mágica de riqueza com pouco ou nenhum sacrifício do dia para a noite. Isto não existe. Para prosperar, é preciso poupar uma parte do que se ganha e colocar este dinheiro para trabalhar a seu favor. Economias bem aplicadas produzem juros que se acumulam com o tempo, gerando riqueza

19. Viva um degrau abaixo, não tente bancar-se um acima
Muitas famílias, na tentativa de conquistarem o mais alto padrão de consumo possível, estão abusando do crédito e “cavando um buraco” para seu futuro. Tenha como meta viver um degrau abaixo do que lhe parece “normal” em seu meio socioeconômico. Não quer dizer que você precise viver mal. Mas se ajustar seu padrão “para baixo”, vai acumular reservas que permitirão dar sustentabilidade (longo prazo) à boa vida a que está acostumado

20. Multiplique seu dinheiro com gastos mais econômicos
Controlar gastos é chato, mas será (e cada vez mais) absolutamente indispensável para quem deseja prosperidade duradoura. Não deixe de gastar! Mas passe a gastar com o que interessa mais e livre-se do que interessa menos. Assim, poderá direcionar o que foi economizado para outros gastos (imediatos ou futuros) que verdadeiramente lhe agreguem qualidade de vida

21. Pequenos gastos podem não ser tão desprezíveis assim
As aparências enganam: pequenos gastos podem não ser tão pequenos assim, e os grandes gastos podem até não ser tão nocivos se forem planejados. Um pãozinho desperdiçado por dia resulta em R$ 90 desperdiçados no ano, dinheiro que daria para fazer um belo churrasco. O gasto com o pãozinho não é pequeno demais para deixar de ser alvo do planejamento rumo à prosperidade financeira

22. Grandes gastos podem não ser tão pesados assim
Um bom planejamento financeiro pode deixar leve um gasto que parece pesado. Exemplo: pintar sua casa. Digamos que o orçamento fique em R$ 2.400,00 e que você pinte a casa a cada três anos. Dividindo R$ 2.400,00 por 36 meses e aplicando R$ 67,00 por mês na poupança durante três anos, o gasto fica leve. Após um suave esforço poupador, a família teria R$ 2.700,00 com os juros ganhos no período

23. Multiplique seu dinheiro com dívidas mais prudentes
Pagar tudo à vista e com um bom desconto é um dos segredos para enriquecer de verdade. Todos que trabalham têm o direito de querer o que é bom, mas também o dever de correr atrás do que é bom com inteligência: da forma mais rápida (quitar o bem o quanto antes), mais suave (pagando menos juros; ou, melhor ainda, não pagando juros) e mais segura (sem o risco de não conseguir pagar, perder o bem e ficar inadimplente)

24. Para realizar um sonho de consumo, parcele tudo em bons investimento
s Dificilmente alguém terá sempre dinheiro sobrando para comprar tudo que quer. Mas a única escapatória não é parcelar no cheque, cartão de crédito ou boleto do crediário. É tentador, pois se leva o bem para casa antes e paga-se depois. Mas esses parcelamentos têm um terrível defeito: a carga extra de juros. Sugiro que parcele antes, poupando e investindo todo mês, para comprar depois, à vista e com descontos. Em vez de pagar, receber juros

25. Multiplique seu dinheiro com investimentos mais dinâmicos
Muitos ainda enxergam o investimento em ações como um cassino, quando trata-se, na verdade, de uma forma superdinâmicas de investimento que pode ser muito segura. Para aplicar com segurança compatível à da poupança, invista em ações de grande liquidez com foco no longo prazo. Boas empresas, em bons setores e bem geridas tendem a ter bons resultados com o passar do tempo, e isto ajudará o preço de suas ações a crescer de forma consistente, com retorno bem acima do obtido com aplicações mais convencionais

26. Esqueça essa bobagem de querer ficar rico!
Ter muito dinheiro para quê? Para viver bem! Então, vamos mudar o foco: o objetivo final não está nos “cifrões”, mas na realização de usufruir da qualidade de vida almejada. Se você acha que precisa de R$ 1 milhão (ou dois, ou três) e se der para se planejar para chegar lá, vá fundo! Mas planeje e gerencie seu dinheiro para poder viver bem hoje e sempre. Conheço multimilionários que não vivem bem, mas sei de gente com renda modesta que toca sua vida material com dignidade e coleciona sorrisos

27. Educação financeira transformadora = bom conhecimento em prática
Quem se dá bem com dinheiro cultiva em sua vida quatro providências combinadas, e a falta de uma delas na prática comprometerá as outras três: 1) qualificar-se profissionalmente, trabalhar e ganhar o máximo que conseguir de forma ética; 2) ter gastos mais econômicos, sempre enxutos e bem controlados, focados na qualidade de vida; 3) ter dívidas mais prudentes, evitando o pagamento de juros; 4) ter investimentos mais dinâmicos, para ganhar juros sobre juros

EDUQUE-SE FINANCEIRAMENTE

Educação Financeira é tão importante que deveria ser um assunto discutido em família, orientando as crianças desde cedo quanto à importância de saber o valor das coisas e como administrar o que temos.

A maioria das famílias não sabe administrar sua renda e acabam gastando boa parte dela para pagamento de juros em empréstimos e crediários, quando na verdade esse dinheiro poderia ser aplicado para melhorar a qualidade de vida de sua família e realizar sonhos.

Para ter uma vida financeira equilibrada precisamos traçar objetivos bem claros e concretos dentro da nossa realidade. Temos a tendência de sempre achar que o que ganhamos é pouco, quando na verdade o problema não é quanto ganhamos e sim como gastamos.

Não adianta ter uma renda maior se não aprender a lidar emocionalmente com essa situação. Temos que aprender a organizar nossa vida financeira, para isso é necessário que tenhamos um plano de contas com todos os nossos gastos e com toda a nossa renda para que possa ficar claro, para onde tem ido o nosso dinheiro; se está sendo bem gasto ou se gastamos em excesso. Geralmente pecamos nos pequenos detalhes.

– Observe se tudo o que você compra é realmente necessário.

– Registre todas as despesas durante o mês. Você vai se surpreender com os gastos extras.

– Ressuscite a lista de compras para ir ao supermercado. Não confie na sua memória, assim você terá certeza que está comprando o que realmente precisa.

– Fuja das armadilhas do marketing, evite tomar decisões após ver um anúncio.

– Tenha sempre metas a alcançar e se esforce para realizá-las.

– Seja menos preguiçoso, pesquise antes de comprar.

– Se possível espere um pouco para juntar o dinheiro e compre à vista, você terá desconto e não ficará com mais uma divida.

– Tome cuidado com cartões de crédito, temos a tendência de gastar mais quando utilizamos essa forma de pagamento.

– Ensine seus filhos a também economizar.

– Na farmácia, sempre que possível escolha medicamentos genéricos, a diferença de preços entre estes e os medicamentos tradicionais podem atingir valores astronômicos e os produtos são idênticos.

– Resista à tentação de comer constantemente fora de casa.

– Deixe o carro em casa, às vezes sai mais barato utilizar o transporte coletivo, sem falar que o meio ambiente agradece.

– Separe todos os meses um valor para investir em uma poupança ou outros meios de investimentos.

– Lembrem-se imprevistos acontecem, mantenha sempre uma reserva para esses momentos.

– Acima de tudo lembre-se sempre de todos os seus sonhos e objetivos e o quanto você se empenha para realizá-los e como será bom quanto isso acontecer. Contemple a vitória enquanto espera!

– Cuidado para não comprar mais produtos do que precisa da empresa em que você empreende.

– Cuidado ao fazer estoque de produtos para não ficar com eles encalhado.

– Provoque conversas positivas sobre dinheiro na família e entre amigos

– Reserve uma verba para ser feliz, ou seja, dê à qualidade de vida a mesma importância que dá à moradia ou à educação

-Montar um ranking de prioridades nos gastos, colocando em primeiro o que dá mais prazer, como a prática de um esporte ou a manicure semanal

– Valorizar os pequenos itens de consumo, esforçando-se por economizar nos grandes, como casa e carro

– Ter um Plano B para cada meta

– Contar sempre com ao menos 30% das reservas em renda fixa, com liquidez, para poder aproveitar oportunidades de consumo

– Barganhar e comprar à vista é uma forma de investir, mas desde que você tenha também outras fontes de investimento

– Todos devem pensar em fazer dinheiro e não em ganhar dinheiro: fazer demonstra atividade, enquanto ganhar demonstra passividade

– Todos têm talento para produzir dinheiro, então aumente sua remuneração, seja pela maior especialização em sua atividade atual, seja por criar novas fontes de renda

– Anteveja o que acontecerá com seu dinheiro antes de dar destino a ele. Ou seja, se você troca seu dinheiro por mais um sapato, você não tem mais dinheiro, e, sim, um artigo que sairá da moda em breve. Se você coloca seu dinheiro em uma aplicação financeira, em breve terá o dinheiro e mais uma quantia para comprar sapatos a cada estação

– Salve seu dinheiro da morte livrando-se do consumo tolo que não te leva a lugar algum, como comer um pão de queijo enquanto espera o avião. Todos devem ter foco em consumir o que é duradouro: desta forma, as grandes conquistas serão muitas, e não raras, ficando quase sempre no campo dos sonhos, que nunca serão atingidos

– Turbine seus investimentos: há vida muito mais rentável e segura que a caderneta de poupança

– Invista fora da grande rede de varejo bancário. O que é bom para o banco só é bom para seus acionistas, e não para os clientes. Adoro ser sócio do meu banco, mas detesto ser cliente dele

– Destine o mínimo de 10% de sua renda para investimento seu e de seus filhos. No futuro, eles te agradecerão por ter diminuído o lixo do planeta ao trocar um brinquedo por investimento, e também te agradecerão por ter garantido os estudos deles com esta troca

– Faça seguros para proteger a você, seu patrimônio, seus bens e seus familiares dos infortúnios que a vida pode trazer e que podem destruir em segundos o que levou anos para ser conquistado

– Sempre esforçar-se por uma boa negociação

– Assumir a responsabilidade por suas decisões financeiras: a culpa não é dos outros ou “do sistema”

– Manter um orçamento doméstico bem feito, detalhado e atualizado

– Usar o crédito apenas quando a negociação envolver construção de patrimônio e futura geração de renda

– Incluir o tema dinheiro na agenda familiar, com diálogo, reuniões, tomada de decisões etc.

– Investir sempre, independentemente do valor, para que isso se torne um hábito

– Destinar parte da receita mensal para construir liberdade futura (renda passiva)

“A melhor maneira de melhorar o padrão de vida está em melhorar o padrão de pensamento.” (U. S. Andersen)

Fonte: SUCESSO NETWORK MARKETING

Leia Também…

MANUELDOLIVEIRAFILHO

Mercado de Venda Direta é maior do que havia sido identificado e divulgado.

A Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) refinou a metodologia de pesquisa, ampliando seu foco e identificando interessante mudança no mix de produtos comercializados pelo canal. Ou seja, o segmento de VD no Brasil, acabou de ser redimensionado.

Após um longo e complexo trabalho de pesquisa, a ABEVD finalizou um estudo sobre o mercado nacional de vendas diretas, com vistas a dimensionar o seu tamanho.

A pesquisa contou com a aplicação de nova metodologia, para aprimorar o processo de levantamento de dados. Como resultado, a entidade concluiu que o volume de negócios em 2016 foi 13% superior que o considerado anteriormente.

Ou seja, as vendas diretas movimentaram R$ 45,7 bilhões, montante R$ 5,3 bilhões maior que os R$ 40,4 bilhões antes apurados.

O número de revendedores mantém-se o mesmo: 4,3 milhões de empreendedores.

A diretora executiva da ABEVD, Roberta Kuruzu, explica que antes desse aprimoramento os números das vendas diretas eram balizados basicamente pelos setores que tradicionalmente adotam esse modelo. “A nova metodologia apontou que houve melhoras decorrentes da maior contribuição dos players.

Mas, além disso, ampliamos o olhar para além do mercado de cosméticos, que era de onde extraíamos boa parte da nossa base de dados. Houve ainda refinamento de outras categorias: saímos a campo e nos aprofundamos nas outras classes de produtos e serviços que estão migrando ou adotando as vendas diretas – um processo que vimos observando há algum tempo e que também passa pelo fenômeno da multicanalidade, na qual empresas adotam diversos meios para comercializar seus produtos ou serviços”, diz.

A executiva complementa: “A entrada de novas empresas para o canal reforça a relevância do setor e mostra respaldo e confiança neste modelo de negócio”.

Com o dimensionamento foram avaliadas 11 categorias principais de produtos, seguindo a classificação internacional da World Federation of Direct Selling Associations (WFDSA).

As categorias e suas participações no total de vendas são:

• Cosméticos, perfumaria e higiene pessoal, 40,4%;
• Vestuário, 11,8%;
• Acessórios, 10,3%;
• Alimentos, 6,6%;
• Cuidados da casa, 6,1%;
• Utilidades domésticas, 4,6%;
• Livros, brinquedos, CD, DVD, software, games, 4,1%;
• Telefonia, internet, TV por assinatura, 3,3%;
• Serviços de reforma da casa (sistema de segurança, aquecimento, refrigeração, reformas etc.), 3,3%;
• Produtos financeiros (títulos de capitalização, seguros, investimento, cartão de crédito etc.), 2,7%;
• Vinhos, comida congelada, 2,3%;
• Outros, 4,4%.

Os dados do 1º quadrimestre de 2017, ainda trazem um cenário de dificuldade comparando-se com os de 2016, cujo histórico também foi devidamente atualizado com a nova metodologia de pesquisa. No acumulado do ano (jan-abril), o volume de negócios apresentou queda (-2,8%), fechando em R$ 13,7 bilhões.

Brasil se mantém na 6ª posição do ranking da WFDSA

A World Federation of Direct Selling Associations (WFDSA), entidade que agrega mais de 60 associações de empresas de vendas diretas e da qual a Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) é associada, divulgou os resultados do setor em todo mundo em 2016.

O Brasil manteve-se na sexta posição do ranking, atrás de Japão, Alemanha, Coreia do Sul, China e Estados Unidos.

Com cerca de 4,3 milhões de empreendedores pelo país, o mercado brasileiro representa 5% do segmento mundial e continua sendo o mais importante da América Latina.

Leia Também…

MANUELDOLIVEIRAFILHO